Supremo Tribunal do Bangladesh mantém condenação à morte de 139 soldados

27 Nov 2017 / 14:17 H.

O Supremo Tribunal do Bangladesh manteve hoje após um recurso a condenação à morte de 139 soldados que participaram num motim em 2009, durante o qual foram massacrados dezenas de oficiais.

“O veredicto confirmou a condenação à morte de 139 pessoas”, declarou o procurador-geral Mahbubey Alam à imprensa no final da audiência.

Em primeira instância em 2013, cerca de 150 soldados escaparam à pena capital e foram condenados a prisão perpétua.

Além de centenas de condenações nos tribunais civis, perto de 6.000 soldados no total foram condenados por tribunais militares pela rebelião, a mais importante da história do país.

O motim, iniciado a 25 de fevereiro de 2009 e que se prolongou por cerca de 36 horas, começou no seio dos Bangladesh Rifles, uma unidade paramilitar encarregada da vigilância das fronteiras, que se considerava discriminada em relação aos militares, sobretudo em termos salariais.

Os amotinados roubaram 2.500 armas antes de entrarem numa reunião anual de altos responsáveis da unidade e de os abaterem. Pelo menos 57 oficiais foram mortos e os corpos mutilados foram deixados em esgotos ou fossas comuns.

No total, 74 pessoas foram mortas pelos amotinados, a maioria torturada, esfolada ou queimada viva.

Outras Notícias