Namorada do atirador de Las Vegas diz que não sabia que estava a ser planeado um massacre

05 Out 2017 / 12:21 H.

A namorada do atirador de Las Vegas afirmou, na quarta-feira, que não fazia ideia do massacre que Stephen Paddock estava a planear quando a enviou para uma viagem à Filipinas, para ver a sua família.

Marilou Danley emitiu uma declaração depois de regressar das Filipinas, tendo sido interrogada por agentes do FBI ao longo de quase todo o dia para tentarem descobrir os motivos do crime, que causou 59 mortos.

“Ele nunca me disse nada ou efetuou qualquer ação, que eu tivesse reparado, que fosse entendida como alguma forma de aviso de que algo horrível como isto ia acontecer”, disse Danley, segundo um comunicado divulgado pelo seu advogado fora da sede do FBI em Los Angeles.

Marilou Danley, que esteve fora do país mais de duas semanas, disse que nunca lhe ocorreu “de maneira nenhuma” que Stephen Paddock estivesse a planear um ato violento para alguém, referindo que o atirador a contactou para lhe enviar dinheiro para comprar uma casa nas Filipinas para a sua família.

A namorada do atirador, de 62 anos, que foi considerada uma “pessoa de interesse” pelos investigadores, disse que amava Paddock como um “homem gentil, atencioso e silencioso” e que esperava que tivessem um futuro juntos.

Afirmou ainda que estava devastada pelo ataque e que cooperaria com as autoridades.

Pelo menos 59 pessoas morreram e 527 ficaram feridas quando um homem disparou continuamente desde o 32.º andar de um hotel no domingo à noite em Las Vegas, no Estado do Nevada, sobre uma multidão que assistia a um concerto de música ‘country’ ao ar livre.