Mulher implicada no acidente com avião em Filadélfia acaba por morrer

Para além de um morto, o incidente provocou ainda sete feridos

EUA /
18 Abr 2018 / 08:48 H.

Uma pessoa morreu na sequência de uma presumível explosão de um dos motores em pleno voo de um avião da Southwest Airlines, tendo uma mulher sido parcialmente sugada por uma janela danificada pelos destroços, adiantou a agência AP.

Robert Sumwalt, presidente do Conselho para a Segurança nos Transportes Nacionais (NTSB, na sigla inglesa), disse apenas que uma pessoa morreu na sequência do acidente com o avião da companhia aérea norte-americana, não adiantando mais detalhes, nem sequer o nome.

No entanto, os passageiros adiantam que uma mulher foi parcialmente sugada para fora do avião pelo buraco aberto na fuselagem pelos destroços que embateram na aeronave, que, segundo os relatos, danificaram uma das janelas próximas do motor que terá explodido.

Segundo um dos passageiros, a mulher em questão teve o corpo fora do avião “da cintura para cima”, tendo sido necessária a intervenção de dois outros passageiros para conseguir puxá-la para o interior.

A mulher foi, entretanto, identificada como uma executiva bancária do Novo México, mãe de duas crianças, pelo diretor da escola católica de Albuquerque frequentada pelos filhos, num e-mail enviado aos pais dos alunos.

A mulher em questão é a primeira vítima fatal de um acidente de aviação nos EUA com uma companhia norte-americana desde 2009, refere a AP.

Um dos motores do Boeing 737, que fazia a ligação entre o aeroporto de LaGuardia, em Nova Iorque, e Dallas, Texas, e que transportava 149 pessoas, terá explodido quando a aeronave se encontrava a 32 mil pés de altitude e os destroços resultantes da explosão terão embatido na fuselagem do avião, danificando uma janela próxima do motor.

Para além de um morto, o incidente provocou ainda sete feridos.

Segundo a AP, nas gravações entre a cabine e a torre de controlo uma tripulante não identificada terá dito que faltavam partes no avião, que havia um buraco e que alguém lhe tinha dito que um passageiro teria “saído para fora” da aeronave, presumivelmente pela janela danificada.

Essa informação, acrescenta a AP, não foi confirmada ou sequer mencionada por Sumwalt.

Quando o avião aterrou uma mulher foi hospitalizada em estado crítico, tendo os outros sete feridos recebido tratamento por ferimentos ligeiros.

Um dos passageiros relatou ter visto a mulher ferida com gravidade e retirada do avião a ser desfibrilhada por técnicos de emergência.

Os passageiros elogiaram ainda a atitude da tripulação, nomeadamente de uma piloto, que terá demonstrado, segundo relataram, “nervos de aço” e mantido a calma em toda a situação, tendo os passageiros relatado momentos de nervosismo entre os passageiros, depois de se ouvir um estrondo e de se terem soltado as máscaras de oxigénio que todos colocaram, preparando-se para a aterragem de emergência em Filadélfia.

Sumwalt disse que uma equipa de investigadores será enviada para o local e que o motor em causa será levado para análise para perceber a origem da falha.

Segundo o presidente executivo da companhia aérea norte-americana Southwest Airlines, Gary Kelly, que também recusou identificar o passageiro que morreu ou a tripulação, o avião não revelou qualquer problema na inspecção a que foi sujeito no passado domingo, e que já conta com mais de 40 mil descolagens desde que está ao serviço da companhia -- julho de 2000 -- 10 mil das quais já depois da última revisão geral.

De acordo com um responsável dos bombeiros de Filadélfia havia uma fuga de combustível num dos motores quando os bombeiros chegaram junto do avião e um pequeno incêndio terá deflagrado, mas foi rapidamente controlado.

Um dos passageiros publicou fotos na rede social Facebook que mostravam estragos numa janela junto ao motor do avião, refere a AP.

De acordo com a AP, a falha do motor foi semelhante a outra ocorrida em agosto de 2016 com outro avião da mesma companhia aérea, um Boeing 737-700, que voava de Nova Orleães para Orlando, na Florida.

Nesse incidente, os estilhaços do motor deixaram um buraco acima da asa do avião, e nessa altura também as máscaras de oxigénio se soltaram do teto da aeronave, tendo os pilotos conseguido aterrar em segurança em Pensacola, Florida.

A maioria dos passageiros saiu pelo próprio pé para a pista do aeroporto depois da aterragem, que aconteceu pelas 11h20 locais (16:20 em Lisboa).