Jornalista da RFI libertado nos Camarões

23 Dez 2017 / 11:32 H.

O correspondente da Rádio France Internacional (RFI) em língua haúça nos Camarões, Ahmed Abba, foi libertado na sexta-feira, depois de 29 meses de prisão, por suspeitas de apoio ao terrorismo, disse o seu advogado.

“Ahmed Abba saiu da prisão de Iaundé pelas 20:15. Ele esteve comigo depois de sair”, afirmou à agência AFP, Charles Tchoungang, o advogado do jornalista, que disse que o seu cliente está bem de saúde.

O jornalista foi condenado a 10 anos de prisão em 2016 e ao pagamento de uma multa de cerca de 85.000 euros por alegada “colaboração com terroristas e lavagem de dinheiro para atos de terrorismo” ligados ao grupo jihadista nigeriano Boko Haram.

O Tribunal Militar de Iaundé acabou por o absolver desta acusação, embora o tenha condenado a um ano de prisão por não ter dado informações sobre os terroristas.

O jornalista da RFI foi preso em julho de 2015 no norte do país, onde era correspondente e onde fazia a cobertura noticiosa das ações do Boko Haram.

O recurso interposto pelo advogado foi adiado várias vezes.

Na sexta-feira à noite, a administração da RFI manifestou-se aliviada com “a perspetiva da eminente de libertação do jornalista”.

O recurso interposto pelo advogado e o julgamento foi adiado várias vezes.

A administração da RFI lamentou na sexta-feira a falta de provas para o acusar e reiterou que “apesar desta sentença, já paga pela prisão, Ahmed Abba fez apenas o seu trabalho de jornalista”.

Outras Notícias