Ex-presidente peruano Alberto Fujimori transferido da prisão para hospital

Peru /
24 Dez 2017 / 17:08 H.

O ex-presidente do Peru Alberto Fujimori foi transferido no sábado da prisão, onde cumpre uma pena de 25 anos de cadeia, para uma clínica da capital, Lima, devido a tensão arterial baixa e arritmia, anunciou o seu médico.

“Desde esta manhã [de sábado] ele tem apresentado sintomas de hipotensão com arritmia, uma acentuada queda de tensão com uma assinalável arritmia”, declarou o médico do antigo chefe de Estado, Alejandro Aguinaga.

Presidente do Peru de 1990 a 2000, Alberto Fujimori de 79 anos, cumpre desde 2007 uma pena de 25 anos de prisão por corrupção e crimes contra a humanidade.

“Eu acho que ele foi afetado por tudo o que aconteceu esta semana”, disse Alejandro Aguinaga.

Segundo informações que circulam desde uma recente votação no Congresso favorável ao atual Presidente do Peru, Pedro Pablo Kuczynski, Alberto Fujimori poderá beneficiar de um indulto por ocasião do Natal na sequência de negociações entre o Governo e próximos do antigo homem forte do Peru.

De acordo com o jornal El Comercio, o ex-presidente peruano apresentou, este mês, um pedido de indulto.

Supostamente, a concessão de um indulto por razões humanitárias a Alberto Fujimori terá sido oferecida pelo governo de Kuczynski a Kenji Fujimori e a outros nove deputados para se absterem na votação da moção para destituir o Presidente realizada na quinta-feira, segundo sustenta o partido Fuerza Popular, que tinha acordado inicialmente votar a favor da moção.

Alberto Fujimori terá chamado pessoalmente os deputados que se abstiveram para frustrar a moção, de acordo com os congressistas que apoiaram Kenji Fujimori.

No entanto, a presidente do Conselho de Ministros, Mercedes Aráoz, declarou na sexta-feira que o Governo não negoceia indultos e que o suposto pedido de Fujimori ainda não foi recebido pela Comissão de Indultos Presidenciais, dependente do Ministério da Justiça.

Mercedes Aráoz informou, porém, que este ano foram apresentados 45 pedidos de indulto a favor de Fujimori, dos quais 39 foram recusados por não cumprirem os requisitos.

Durante a presidência de Ollanta Humala (2011-2016), os filhos de Fujimori apresentaram um pedido de indulto por razões humanitárias, que foi rejeitado por o seu estado de saúde não ser grave. Logo após a eleição de Pedro Pablo Kuczynski submeteram outro pedido nesse sentido que acabou por ser retirado após a recusa do atual chefe de Estado em avaliar essa opção.

Durante a transferência de ambulância, da prisão para a clínica particular em Lima, Alberto Fujimori foi acompanhado pelo seu filho mais novo, o deputado Kenji Fujimori, que disputa a herança política do pai com a sua irmã Keiko.

Outras Notícias