China e Vietname comprometem-se a “não complicar conflito” no Mar do Sul da China

EUA /
14 Nov 2017 / 09:33 H.

China e Vietname comprometeram-se a “não complicar o conflito” no Mar do Sul da China, que Pequim reclama quase na totalidade, apesar dos protestos de vários países vizinhos, indica uma declaração conjunta emitida hoje.

A declaração surge um dia depois de a visita do Presidente chinês, Xi Jinping, a Hanói. Ambas as partes concordam em “não adotar ações suscetíveis de complicar o conflito”.

O texto aponta para um “consenso” entre Pequim e Hanói, garantido a determinação de ambas as partes em “manter a paz e a estabilidade no Mar do Sul da China”.

Pequim reivindica quase todo o Mar do Sul da China, apesar das reivindicações do Vietname, Filipinas, Malásia e Brunei.

Desde que Xi Jinping ascendeu ao poder, em 2012, a China construiu várias ilhas artificiais, capazes de receber instalações militares em recifes disputados pelos países vizinhos.

Este mar estratégico, por onde passam anualmente cerca de cinco biliões de dólares (4,2 biliões de euros) em mercadorias, terá vastas reservas de gás e petróleo.

As tensões recorrentes entre países com fronteiras com o Mar do Sul da China são consideradas uma potencial fonte de conflito na Ásia.

O Presidente dos EUA, Donald Trump, que visitou Hanói no domingo, ofereceu-se para ser “mediador” neste conflito.

“Se eu puder servir como intermediário ou árbitro, avise-me ... Sou um mediador muito bom”, disse o líder norte-americano ao homólogo do Vietname, apesar de o Governo chinês insistir que os EUA não têm um papel a desempenhar no Mar do Sul da China.

A declaração surge numa altura em que a China e os países da Associação das Nações do Sudeste Asiático (ASEAN) devem anunciar um “código de conduta” para o Mar do Sul da China.

Outras Notícias