Anciã de 65 anos degolada depois de acusada de feitiçaria

Angola /
23 Ago 2018 / 20:54 H.

Uma mulher de 65 anos foi degolada por dois homens em Caconda, vila do município angolano da Huíla, depois de ter sido acusada de praticar atos de feitiçaria, anunciou hoje a Polícia Nacional provincial.

Citado pela agência noticiosa angolana ANGOP, o porta-voz da Polícia provincial da Huíla, inspetor-chefe Luís Filipe Zilungo, o crime aconteceu no setor de Bana, no interior de uma residência, onde os suspeitos, entretanto detidos, acabaram por degolar a vítima.

Segundo o porta-voz policial, o crime ocorreu depois de os suspeitos terem recorrido a um “quimbandeiro” - no dialeto kimbundu, um idioma bantu que se fala em Angola, “kimbanda” significa “curandeiro” -, para que este adivinhasse a origem de “desgraças” na família, tendo este lhes dito que a causa estava na sexagenária.

“Como retaliação, degolaram-na”, explicou.

O crime consta de outros quatro assassinatos registados pela polícia provincial da Huíla, como o que, relatou, uma outra idosa, da mesma idade, foi morta à paulada pelo neto, ainda em fuga, igualmente por crenças ligadas ao feiticismo.

O crime consta no balanço semanal feito pela polícia local, que registou 74 delitos, 58 deles “esclarecidos”, levando à detenção de 55 presumíveis culpados.

Segundo a Angop, os casos de assassinatos por crenças ligadas ao feiticismo são comuns na província da Huíla, envolvendo sobretudo pessoas da mesma família.

Outras Notícias