Saúde da Madeira responde ao PDR e garante que actividade cirúrgica do SESARAM decorre dentro da normalidade

21 Abr 2017 / 16:03 H.

Relativamente às declarações do coordenador do Partido Democrático Republicano da Madeira, Filipe Rebelo, acerca do cancelamento de cirurgias no Serviço de Saúde da Região Autónoma da Madeira (que pode ler aqui), a Secretaria Regional da Saúde (SESARAM) considerou necessário enviar um esclarecimento em que rebate as acusações.

“A actividade cirúrgica do SESARAM quer a cirurgia electiva, quer o programa especial de recuperação de cirurgias decorrem dentro da normalidade”, começa por garantir a tutela da Saúde.

“O cancelamento de cirurgias e a impossibilidade de funcionamento de salas de bloco operatório fazem parte da rotina comum de qualquer hospital do país ou do mundo e ocorrem por razões de vária ordem, muitas vezes externas à própria instituição, prestadora de cuidados de saúde”, adianta.

“Não obstante, refira-se que os contratempos na vivência hospitalar cirúrgica não são norma, mas situações excepcionais”, acrescenta a Secretaria da Saúde.

Sempre que ocorrem, diz, “são reagendadas, de acordo com os mais elevados critérios clínicos de segurança e qualidade”.

“Salientamos, no que respeita à cirurgia programada desde Janeiro até à presente data, em 493 salas de bloco operatório programadas foram canceladas 10 salas, o que corresponde a 2 por cento das situações. Relativamente ao programa especial de recuperação de cirurgias criado para diminuir a lista de espera, este decorre fora dos tempos normais de bloco da cirurgia programada, para não perturbar o seu normal funcionamento, graças à disponibilidade adicional dos profissionais de saúde. Informa-se, que no passado realizaram-se cerca de 637 cirurgias no âmbito deste programa e que só no primeiro trimestre do presente fizeram-se 333 intervenções”, sustenta o Governo.

E avança com mais números: “Na totalidade em 2016, em cirurgia de bloco e de ambulatório realizaram-se 10.560”.

Conclui afirmando que o Serviço de Saúde da Região e todos os profissionais de saúde prosseguem os objectivos da prestação de cuidados de saúde com mais segurança e qualidade.

Outras Notícias