Primeiras horas mostram furacão simpático

13 Out 2018 / 06:08 H.

As primeiras horas deste sábado ficam marcadas pela passagem simpática do furacão Leslie ao largo das ilhas da Madeira e Porto Santo, embora pontualmente se sintam os seus efeitos, que ontem eram apontados como sendo mais notórios a partir das 07h, a para da garantia que o dispositivo de socorro na Região Autónoma da Madeira estava em “alerta máximo”.

Segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), há entre 60 a 80% de probabilidade de o arquipélago da Madeira começar a sofrer os efeitos do Leslie esta manhã, em termos de agitação marítima, vento e precipitação, acompanhados de trovoada.

“Nestas condições prevê-se vento forte do quadrante sul com rajadas até 90 quilómetros por hora, sendo que, nas regiões montanhosas, o vento será forte a muito forte, com rajadas até 110 quilómetros por hora”, segundo o IPMA.

A Secretaria Regional da Saúde, que tutela o serviço da Proteção Civil, informou que o dispositivo de socorro na Região Autónoma da Madeira está em “alerta máximo” devido à aproximação do furacão Leslie.

O comando regional da Madeira da Polícia de Segurança Pública (PSP) aconselhou os condutores a evitarem a utilização das estradas junto à orla costeira e a limitarem a circulação automóvel ao indispensável por causa dos efeitos da passagem do furacão.

Já a ANA - Aeroportos de Portugal aconselhou os passageiros com viagens de e para a Madeira a contactarem antecipadamente as companhias aéreas ou o ‘site’ desta entidade, visto que o mau tempo provocou o cancelamento de vários voos.

No continente, os efeitos do furacão Leslie devem sentir-se, segundo a Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), a partir das 19:00 de hoje, atingindo o pico mais crítico entre as 00:00 e as 06:00 de domingo para precipitação e entre as 03:00 e as 12:00 também de domingo para agitação marítima.

“O território continental português será afetado muito provavelmente em toda a sua extensão geográfica, não sendo possível ainda indicar com precisão as áreas de maior impacto dos fenómenos meteorológicos”, sublinhou na sexta-feira a ANPC.

Outras Notícias