Grupo de trabalho quer 1 milhão no Orçamento da República para novo hospital já este ano

17 Mai 2018 / 19:03 H.

Trata-se de uma “verba simbólica”, mas a pretensão é que seja inscrita, já este ano, no Orçamento da República. O Grupo de Trabalho do novo Hospital Central da Madeira voltou a reunir, hoje, após meses de interrupção e levou a Lisboa a pretensão de inscrição no Orçamento da República de um milhão de euros, para que o Concurso Público Internacional para a empreitada de obra pública possa ser aberto ainda em 2018.

José Manuel Ventura Garcês, Roman Feliciano Neto, Mário Filipe Soares Rodrigues e Ricardo Reis requereram ainda “que o Governo da República inscreva no Orçamento de Estado, até 2024, as verbas plurianuais quanto à obra e, a partir de 2022, as verbas plurianuais destinadas à aquisição de equipamentos, sendo que as verbas da República e da Madeira deverão ser atribuídas em partes iguais”.

Numa nota enviada à imprensa, a vice-presidência do Governo Regional afirma que “das principais conclusões da reunião de hoje sobressai a abertura e vontade de cooperar dos representantes do Governo da República neste processo, que é de importância fundamental para os Madeirenses e Porto-Santenses”.

“Esta reunião foi, também, decisiva para consolidar a cooperação e acertar os próximos passos entre os dois governos, tendo já ficado agendada a próxima reunião para o dia 7 de junho. Até lá, deverá haver uma intensa troca de dados técnicos entre os membros nacionais e regionais que compõem o grupo de trabalho”, explica ainda.

Os representantes regionais informaram que a opção do Executivo madeirense para a construção do novo Hospital, deverá ser feita através de concurso público internacional com prévia qualificação.

Além disso, houve, também, entendimento entre as partes, de que o Banco Europeu de Investimento (BEI) poderá ser uma das fontes de financiamento da futura infraestrutura hospitalar.

Outras Notícias