É preciso requalificar e formar mais recursos humanos no turismo

Secretária regional do Turismo fez as honras de encerramento da XII CAT

12 Out 2018 / 18:18 H.

Paula Cabaço, secretária regional do Turismo e Cultura, encerrou a Conferência Anual de Turismo

No encerramento da XII CAT, que decorreu no Centro de Congressos da Madeira, a secretária regional do Turismo, Paula Cabaço, fez um panorama animador do sector, frisando os excelentes resultados dos últimos anos, destacando o trabalho que tem vindo a ser feito para que a Região continue a ter bons resultados e as empresas tenham boa rentabilidade. Mas, advertiu, é preciso requalificar e formar mais recursos humanos para que o sucesso tenha continuidade.

A governante salientou que “fez-se um debate oportuno e, sobretudo, centrado no que tem sido um percurso inegável de afirmação, ao longo dos últimos anos”, facto que “se deve a todos os que trabalham em prol deste sector e aos que, acreditando no produto, acrescentam-lhe valor e fazem com que esse valor se reflicta na rentabilidade dos seus negócios”.

Em todo o caso acrescentou, “simultaneamente – e nesta relação de causa-efeito – o investimento que é feito, individualmente, pelos parceiros privados, tem-se reflectido a favor do todo. E isto porque, ao valorizarmos a nossa oferta turística, nas suas diferentes dimensões, todos ganham. Ganham os empresários e os consumidores mas, principalmente, o destino que, assim, se diferencia dos demais e se vende, progressivamente, a preços muito mais justos e equilibrados. Falar de rentabilidade – e conforme foi aqui dito – é falar de investimento”, apontou.

Paula Cabaço acredita que “haverá, certamente, sempre muito a fazer, mas muito já tem sido feito. Sendo certo que os proveitos arrecadados quase que duplicaram na última década, é também verdade que os nossos agentes têm sabido reinvestir na requalificação das suas unidades e inovar na sua oferta de serviços aos clientes, em toda a cadeia de valor”. E exemplificou: “Desde 2015 até agora, mais de 25% dos nossos empreendimentos turísticos foram alvo de requalificação e que, das 819 novas empresas criadas na Região, em 2017, 32% estavam ligadas ao turismo. São mais de 250 as empresas de animação turística a operar na Região – muitas das quais a cargo de jovens empresários e empreendedores – número que duplicou ao longo dos últimos anos.”

Entre os vários apontamentos, a secretária do Turismo lembrou que, “a par da necessária qualificação dos nossos profissionais, preocupa-nos a renovação e captação de novos quadros para o sector e, nessa lógica, estamos a trabalhar para que, no início do próximo ano, seja realizada uma acção de sensibilização junto dos mais jovens, dando-lhes a conhecer as oportunidades de carreira e de negócio, nesta actividade, num projecto que – envolvendo diversos parceiros públicos e privados – integrará Workshops informativos e motivacionais, estágios, visitas a unidades e empresas, entre muitas outras iniciativas”, concluiu.