MUDAS recebeu mais de 11 mil visitantes em seis meses

Procura em crescendo só no primeiro semestre de 2018 faz do Museu de Arte Contemporânea um exemplo de sucesso na oferta cultural da Região

11 Ago 2018 / 19:11 H.

“O MUDAS. Museu de Arte Contemporânea é, sem dúvida, um exemplo de sucesso no que respeita à programação, promoção e afirmação cultural da Região”, disse hoje a secretária regional do Turismo e Cultura na inauguração de uma exposição naquele espaço.

Paula Cabaço lembrou que “com mais de 11.000 visitantes no primeiro semestre deste ano e crescendo, progressivamente, na sua oferta, este espaço, tutelado pelo Governo Regional, tem vindo a incentivar e evidenciar a criação contemporânea na Madeira e a garantir que, fora do Funchal, se concretizem excelentes projectos culturais, disponíveis a toda a população, residente e visitante, dando, simultaneamente, a oportunidade, aos nossos artistas, para que exponham as suas criações, valorizando-as, numa partilha que, naturalmente, enriquece a nossa oferta cultural”, acrescentou.

A governante marcou presença na abertura da exposição na Galeria do MUDAS, designada por “Melancolia”, a primeira mostra individual do artista Hélder Folgado na Região. O projecto é concretizado em parceria com a Galeria dos Prazeres, onde também estará patente ao público.

“Estamos todos de parabéns com mais esta iniciativa e estamos, sobretudo, altamente satisfeitos por acolhermos, nesta Galeria, a primeira exposição individual de um artista madeirense que, com um percurso reconhecido, disponibiliza-nos a sua obra, neste local emblemático”, sublinhou Paula Cabaço.

Destacando a excelente programação cultural e a diversidade artística dos projectos que têm vindo a ser desenvolvidos neste Museu – envolvendo visitas, ateliês, oficinas criativas, residências artísticas e programas educativos – a governante lembra a qualidade de propostas que têm vindo a ser dinamizadas, desde o passado mês de junho, também no âmbito da II Temporada do MUDAS.Hotsummer.

“Peças de Teatro (Peça para Negócio de Miguel Ribeiro, por exemplo), Ciclos de Cinema (Extensão do Cinema Indie Lisboa), Concertos de Jazz (Concerto de André e Bruno Santos, Mano a Mano) e apresentações de Músicas Inéditas marcam, entre outras, as acções que têm vindo a ser desenvolvidas e que prosseguem para o futuro, com mais três exposições a inaugurar até ao final do ano”, sublinha, acrescentando que este espaço tem vindo a cumprir, efectivamente, “a estratégia do Governo Regional no que respeita à maior diversificação, qualificação e atractividade da oferta ao público, associando-a a diferentes expressões artísticas e afirmando a aposta que tem vindo a ser desenvolvida quanto à descentralização dos programas culturais”.

  • 1
    $tempAlt.replaceAll('"','').trim()