TVI recorda “pioneiro da indústria das novelas portuguesas”

17 Fev 2020 / 02:17 H.

A TVI recorda o ator e argumentista Tozé Martinho, que morreu hoje aos 72 anos, como um “pioneiro da indústria das novelas portuguesas”, cuja carreira “inspirou os guionistas nacionais”, abrindo portas a uma atividade que envolve centenas de pessoas.

O canal de televisão, num comunicado hoje divulgado, diz que Tozé Martinho, “ator, além de autor, tornou-se numa figura familiar que deixa saudades a todos com quem se cruzou durante décadas”.

O ator e argumentista Tozé Martinho (António José Bastos de Oliveira Martinho) morreu hoje, os 72 anos, no Hospital de Cascais, devido a uma paragem cardiorrespiratória, disse à Lusa fonte da família.

“Pioneiro da indústria das novelas portuguesas, a sua longa carreira inspirou os guionistas nacionais abrindo portas para uma atividade que hoje mobiliza centenas de pessoas”, destaca a TVI, canal de televisão onde Tozé Martinho “assinou trabalhos inesquecíveis”.

Para a estação de Queluz, “séries, como ‘Todo o Tempo do Mundo’ ou novelas como ‘Olhos de Água’, ‘Dei-te Quase Tudo’, ‘A Outra’, ou mais recentemente ‘Louco Amor’ viverão para sempre”.

No comunicado hoje divulgado, a TVI endereça “sentidas condolências” à família de “um dos autores mais bem sucedidos da ficção nacional”.

Tozé Martinho estreou-se como ator em 1982, na primeira telenovela portuguesa, “Vila Faia”.

No entanto, foi ainda na década de 1970 que apareceu pela primeira vez nos ecrãs de televisão, ao participar no programa “A Visita da Cornélia”, ao lado da mãe, a atriz e escritora Maria Teresa Ramalho, conhecida como Tareka (1927-2018).

Irmão da escritora Ana Maria Magalhães, Tozé Martinho estreou-se na escrita de argumentos com a telenovela “Palavras Cruzadas”, exibida no final dos anos 1980 na RTP, onde além de coautor foi também ator.

Ao longo da carreira, Tozé Martinho participou em várias telenovelas e séries, como ator, argumentista, sobretudo da RTP e da TVI.