Sindicalistas cantam as Janeiras frente ao parlamento em protesto

Lisboa /
10 Jan 2020 / 19:36 H.

Dezenas de dirigentes e delegados sindicais da Frente Comum, da CGTP, foram hoje cantar as Janeiras, frente à Assembleia da República, em Lisboa, à mesma hora que o Orçamento do Estado para 2020 era discutido e votado na generalidade.

As músicas de Zeca Afonso “Os Vampiros” e “Natal dos Simples”, com letras adaptadas pela Frente Comum, alusivas ao Orçamento do Estado para 2020 (OE2020) serviram para os sindicalistas mostrarem o seu descontentamento com a proposta orçamental, que acabou por ser aprovada no parlamento.

“Estas quadras são o retrato do que sentimos, que este orçamento fecha as portas a Abril”, disse, no final, a dirigente da Frente Comum, Ana Avoila, que atribuiu a autoria das letras ao líder da Federação Nacional dos Professores (Fenprof), Mário Nogueira, também presente no protesto.

Aos jornalistas, a dirigente sindical voltou a considerar que os aumentos salariais de 0,3% previstos na proposta de OE2020 “são um insulto” aos trabalhadores da administração pública que estão sem actualizações há dez anos.

“O Governo tem de perceber o descontentamento dos trabalhadores da função pública em relação aos salários e a tudo porque o poder de compra está cada vez mais elevado, as condições de trabalho estão cada vez piores e é isto que tem de mudar”, defendeu Ana Avoila.

A líder da Frente Comum afirmou que “é preciso uma grande mobilização” dos trabalhadores para a manifestação nacional marcada para dia 31, acrescentando que 2020 “vai ser um ano de luta”.

Também o secretário-geral da Fenprof, Mário Nogueira, que convocou uma greve para o mesmo dia, disse esperar que os professores “estejam muito empenhados na luta” contra o OE2020 porque “é um Orçamento do Estado que passa completamente ao lado da educação”.

“Entendemos que passando agora o orçamento à fase da discussão na especialidade o tempo é de luta, o tempo é de pressão, é de dizer ao Governo que aquele orçamento tem de ser alterado e de dizer aos partidos que vão agora negociar que não podem esquecer a educação, a escola pública e os professores”, afirmou o líder da Fenprof.

Mário Nogueira explicou que a Fenprof decidiu marcar a greve para o mesmo dia da manifestação já agendada pela Frente Comum porque “é uma luta importante e há condições para que mais professores venham para a rua”.

A Assembleia da República aprovou hoje, na generalidade, a proposta do Governo de Orçamento do Estado para 2020.

O PS foi o único partido a votar a favor do orçamento, que mereceu as abstenções do BE, PCP, PAN, PEV, Livre e dos três deputados do PSD eleitos pelo círculo eleitoral da Madeira.

Votaram contra a proposta do Governo o PSD e o CDS-PP, bem como os deputados únicos do Chega e da Iniciativa Liberal.