Mulher de português infectado com coronavírus diz que Presidência está a tratar de canal de comunicação

25 Fev 2020 / 11:10 H.

A mulher de Adriano Maranhão, o português infectado com o coronavírus Covid-19, avançou hoje que o gabinete da Presidência da República garantiu estar a tratar “de um canal de comunicação” para fazer a ponte e acompanhar a situação do marido.

Em declarações à Lusa via telefone, Emanuelle Maranhão explicou ter falado com “alguém do gabinete do Presidente da Republica” que lhe deu a garantia de estar a “tratar de abrir um canal de comunicação que faça a ponte”.

“Eu não posso estar até à próxima madrugada para saber o que se passa com o meu marido, tem de haver alguém, ou próximo dele ou que garanta informações de hora a hora, por exemplo, nos momentos mais importantes, do processo médico”, disse Emanuelle Maranhão.

Pelas 10:00, hora em que falou com a Lusa, a mulher de Adriano Maranhão disse não saber se o marido já tinha chegado ao hospital para onde está a ser encaminhado, lembrando que a última vez que falaram ele estava a ser transportado de autocarro em direção ao Fujita University Health Hospital, um hospital recém-construído e cuja inauguração estava prevista para abril.

“Depois de ter falado com ele, fiz os contactos com a embaixada para dar conta daquilo que sabia e com a Presidência da República”, explicou.

Durante a madrugada, Emanuelle Maranhão afirmou à Lusa que o marido estava a começar a ser transferido para um hospital na cidade de Okazaki, na província de Aichi.

“Após os testes e análises, que se parte do princípio que lhe vão fazer, irão encaminhá-lo para outro hospital”, acrescentou Emmanuelle Maranhão, que estava a enviar um e-mail dirigido à embaixada portuguesa no Japão a solicitar o acompanhamento do marido, tripulante do cruzeiro Diamond Princess, onde foram confirmados 700 casos, que resultaram em quatro mortes, com o último óbito a ser anunciado já hoje pelas autoridades japonesas.

“Espero agora que alguém vá junto destas autoridades e acompanhá-lo, não digo estarem ao lado dele, obviamente, porque ele vai estar em isolamento, mas alguém tem de estar lá a representar a família, a representar Portugal, a representar este português, já que a empresa também tem um representante, mas pelos vistos não o consigo encontrar em lado nenhum”, desabafou.

A viagem de Adriano Maranhão entre o porto de Yokohama e o hospital para onde foi transferido é o equivalente a uma viagem entre Lisboa e Porto, e dependendo do trajeto escolhido poderá levar entre 04:30 e 05:00, de acordo com o Google Maps.

O balanço provisório da epidemia do coronavírus Covid-19 é de 2.705 mortos e mais de 80 mil pessoas infetadas, de acordo com dados reportados até hoje, por cerca de 30 países.

Além de 2.665 mortos na China, onde o surto começou no final do ano, há registo de vítimas mortais no Irão, Coreia do Sul, Itália, Japão, Filipinas, França e Taiwan.

Em Portugal, já houve 14 casos suspeitos, que resultaram negativos após análises, estando um novo caso a ser avaliado.

A Organização Mundial de Saúde declarou o surto do Covid-19 como uma emergência internacional e alertou para uma eventual pandemia, após um aumento repentino de casos em Itália, Coreia do Sul e Irão nos últimos dias.