Incêndios no país com mão criminosa em destaque na imprensa de hoje

Lisboa /
22 Jul 2019 / 08:39 H.

O drama dos incêndios está de volta a Portugal. O Jornal de Notícias (JN) fala em fogos planeados para causar grandes danos. A PJ encontrou artefactos pirotécnicos em zonas da Sertã. Em Mação a população luta contra as chamas e tenta salvar habitações.

O Público destaca o desalento de quem revive o inferno ano após ano com a tragédia dos incêndios.

O Diário de Notícias questiona “porque continua a arder a zona centro” do país?

Para o Jornal I, os incêndios florestais são uma prova de fogo para o Governo e fala em 20 feridos e aldeias ameaçadas com indícios de mão criminosa. A mensod e três meses das eleições, executivo mantém-se cautelosa, escreve o I.

Já o Correio da manhã escreve sobre o terror das chamas com mão criminosa.

Noutras matérias, Venezuela, BES e BCP com mais fluxos para offshores no momento do apagão é destaque no Público. O Ministério Público investiga sabotagem informática no caso do apagão no fisco, nos anos da Troika.

No JN há uma sondagem que coloca António Costa perto da maioria absoluta. Os socialistas alargam fosso em relação aos social-democratas, o BE consolida terceiro lugar e o PAN pode eleger vários deputados no Porto e em Lisboa, são alguns indicadores desta sondagem que coloca Cristas em queda de popularidade.

O CM destaca que o ambienta faz disparar os preços dos carros, sobretudo dos veículos mais poluentes. O I alerta para o desaparecimento das praias portuguesas, quando o Estado gastou 20 milhões de euros, entre 2007 e 2014 para repor areia na Costa da Caparica e as barragens impedem reposição natural das areias, avança a Quercus.

No Diário de Notícias, o destaque vai para o passe de família que arranca com muita burocracia.

Já o I refere que o PS aprova programa eleitoral por unanimidade e Costa promete que saúde será “joia da coroa”.

Outras Notícias