Hoje é notícia em Portugal e no Mundo

19 Mai 2019 / 09:46 H.

O PS e o BE levam hoje as “caravanas nacionais” para as eleições europeias até à Madeira, com os socialistas a seguirem depois para os Açores, num dia em que os líderes nacionais estão todos na “estrada”.

No continente, o PSD e o CDS-PP irão seguir a campanha a Norte, enquanto a CDU estará concentrada no distrito de Lisboa.

Será com um pouco habitual comício matinal que o PS marcará a sua passagem pela ilha da Madeira, com o cabeça de lista, Pedro Marques, a voltar a ter ao seu lado o líder do partido, António Costa.

Da Madeira, Pedro Marques e António Costa seguirão para a ilha açoriana de São Miguel, para um jantar-comício em Vila Franca do Campo.

À hora de almoço, também a cabeça de lista do BE, Marisa Matias, e a coordenadora do partido, Catarina Martins, estarão no Funchal, na única iniciativa do dia da campanha bloquista.

Pela região Norte do continente, seguirá a campanha social-democrata, com o cabeça de lista, Paulo Rangel, a começar o dia em contactos com a população, em Valença, e a passar pelo Santuário de Santa Luzia, em Viana do Castelo, ainda antes de almoço.

À tarde, a caravana andará por Ponte de Lima e Arcos de Valdevez, em contactos com a população. À noite, já com o líder do partido, Rui Rio, o candidato ‘número um’ do PSD irá até à Quinta da Malafaia, em Esposende, um “arraial minhoto” por onde já passaram várias campanhas sociais-democratas.

Póvoa do Varzim e Vila do Conde serão os primeiros pontos de paragem do cabeça de lista do CDS-PP, Nuno Melo, para contactos com a população.

Depois, já na companhia da líder do partido, Assunção Cristas, o candidato centrista estará num almoço em Marco de Canavezes e irá terminar o dia, à tarde, em Aveiro, com um passeio de moliceiro.

O cabeça de lista da CDU, João Ferreira, não sairá do distrito de Lisboa, iniciando o dia de campanha em Sintra, em contactos com os lojistas.

Depois de um almoço em Sobral de Monte Agraço, o secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, juntar-se-á à caravana, para um comício numa terra com tradições comunistas: Alhandra, no concelho de Vila Franca de Xira.

As eleições para o Parlamento Europeu realizam-se em Portugal no dia 26 de maio.

Hoje, também será notícia:

CULTURA

A pianista Maria João Pires vai ser distinguida hoje com a Medalha de Mérito Cultural, em Belgais, no distrito de Castelo Branco.

A medalha será entregue pela ministra da Cultura, Graça Fonseca, após o recital “De Budapeste ao Delta”, do ciclo de concertos “O Fio do Danúbio”, marcado para as 16:30, no Centro de Artes de Belgais.

A atribuição da Medalha de Mérito Cultural a Maria João Pires “traduz, simultaneamente, um gesto de reconhecimento e de agradecimento do Governo Português de uma vida dedicada à música”, referiu o Ministério da Cultura ao justificar a atribuição da medalha.

O programa “O Fio do Danúbio”, cujos concertos esgotaram todos, foi anunciado no final do ano passado, depois dos concertos de Natal e de Ano Novo, que marcaram o regresso de Maria João Pires a Belgais.

O recém-criado Alvalade Cineclube, em Lisboa, vai prestar homenagem ao divulgador e cinéfilo Vasco Granja com uma sessão hoje, no Centro Cívico Edmundo Pedro.

Na sessão serão exibidos filmes da antiga Checoslováquia, Rússia, Polónia, Itália e Estados Unidos, muitos dos quais apresentados por Vasco Granja em programas televisivos na RTP.

A sessão de homenagem mostrará ainda a curta-metragem “Porque é este o meu ofício”, de Paulo Monteiro, que venceu o Prémio SPA Vasco Granja 2019, atribuído pelo festival de cinema de animação Monstra.

DESPORTO

Um dia depois de o Benfica ter conquistado o seu 37.º campeonato de futebol, Tondela e Desportivo de Chaves decidem qual das equipas se mantém na I Liga, numa autêntica final da 34.ª e última jornada, que os transmontanos enfrentam com vantagem no confronto direto.

O penúltimo encontro do campeonato da época 2018/19 está marcado para as 17:30, em Tondela, e vai ser arbitrado por João Pinheiro, da associação de Braga.

As duas equipas chegam ao derradeiro embate com os mesmos 32 pontos, mas o Desportivo de Chaves tem vantagem no confronto direto - o primeiro critério de desempate -, uma vez que venceu na primeira volta na receção ao Tondela, por 2-1, com golos de André Luís e Luther Singh para os anfitriões e de Tomané para os beirões.

O campeonato encerra com o embate entre duas equipas de Guimarães, com a receção do Moreirense, quinto classificado, com 52 pontos, ao rival Vitória de Guimarães, que ocupa o sexto posto, com 49, e já assegurou uma vaga na próxima edição da Liga Europa.

Os vitorianos venceram o Moreirense na primeira volta, por 1-0, e, em caso de triunfo no jogo de hoje, ultrapassam a formação de Moreira de Cónegos.

INTERNACIONAL

“Uma Europa para Todos”, contra o nacionalismo, é o lema dos protestos marcados para hoje em sete cidades da Alemanha, e em várias outras de 12 países, que esperam reunir dezenas de milhares de pessoas.

Estão marcadas manifestações nas cidades alemães de Berlim, Hamburgo, Munique, Colónia, Estugarda, Leipzig e Frankfurt, mas também em vários pontos de outros 12 países, da Áustria à Espanha, passando por Polónia ou Bulgária.

“Uma Europa para todos -- o teu voto contra o nacionalismo” (Ein Europa für Ale -- Deine Stimme gegen Nationalismus) é o mote da manifestação que, em Berlim, vai acontecer em Alexanderplatz.

Os cidadãos suíços referendam hoje uma nova legislação que limita a posse de armas, medida idêntica à adotada pela União Europeia (UE) na luta contra o terrorismo.

A legislação que vai ser votada foi aprovada pelo parlamento em setembro de 2018, mas os opositores da medida, nomeadamente caçadores e proprietários de armas, obtiveram as 50.000 assinaturas necessárias para convocar um referendo e entregá-las ao Executivo federal para realizar a consulta.

A União Europeia decidiu endurecer a legislação sobre armamento nos países membros depois dos atentados terroristas de Paris, em novembro de 2015, com o objetivo de parar o comércio ilegal de armas e restringir o acesso às mais perigosas.

A Suíça tem de realizar mudanças legislativas este ano semelhantes à UE, tendo em conta que é um dos pontos que faz parte do Acordo de Schengen.

PAÍS

Os trabalhadores da Transportes Sul do Tejo (TST) voltam a paralisar hoje e na segunda-feira pelo aumento de salários e diminuição da carga horária, estando prevista também uma concentração em frente à Câmara de Almada, no distrito de Setúbal.

Na sexta-feira, a Fectrans -- Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações explicou que os trabalhadores e sindicatos convocaram uma nova greve por não haver respostas sobre a proposta de aumento salarial para 750 euros.

De acordo com o sindicato, os trabalhadores da TST vão fazer uma concentração em frente à Câmara Municipal de Almada, pelas 10:00, na segunda-feira, estando previsto serem recebidos pela presidente da autarquia.

Em 23 de janeiro, os trabalhadores reuniram-se com a administração para negociar a revisão do Acordo de Empresa, a qual lhes propôs o aumento de salário de 651,61 euros para 670 euros, além de um acréscimo de 0,91 cêntimos nas diuturnidades e de mais cinco euros no trabalho em dias de folga, uma proposta que os trabalhadores consideraram insuficiente.

A última greve dos trabalhadores, realizada em abril, teve uma adesão de 95%, segundo o sindicato, e de 75%, de acordo com a empresa, e levou à supressão das carreiras de Setúbal para Lisboa, via autoestrada, Ponte Vasco da Gama e Ponte 25 de Abril.

A TST, detida pelo grupo Arriva, desenvolve a sua atividade na Península de Setúbal, com 190 carreiras e oficinas em quatro concelhos, designadamente Almada, Moita, Sesimbra e Setúbal.

Outras Notícias