Direito de Resposta

30 Jan 2020 / 02:00 H.

Ao abrigo da Lei de Imprensa nº 2/99, nomeadamente no que concerne ao Artigo 24º da citada Lei, venho por este meio, exercer o direito à defesa da minha honra e do meu bom nome, em termos pessoais e profissionais, que considero terem sido postos em causa num artigo de opinião publicado no passado dia 24 de janeiro de 2020, assinado por Luís Alberto Matos.

Faço-o, na convicção de que a reposição da verdade é algo que devo a mim mesma e aos valores que sempre respeitei e que me foram transmitidos ao longo da vida.

Deste modo, venho esclarecer os seguintes pontos:

1. Sou Especialista em Medicina Geral e Familiar desde 16 de fevereiro de 2007 e Assistente Graduada em MGF desde Maio de 2016.

2. Frequentei o mestrado integrado em Cuidados Paliativos, no Instituto de Ciências da Saúde da Universidade Católica Portuguesa, e concluí, com a classificação de 19 valores (Summa Cum Laude), tendo-me sido conferido o grau de mestre em cuidados paliativos a 17 de maio de 2011.

3. Nesta data, defendi a dissertação “Cuidados Paliativos: uma proposta para a Região Autónoma da Madeira”.

4. Realizei estágio clínico na Unidade de Cuidados Paliativos do Élisabeth Bruyère Hospital e no Palliative Pain & Symptom Management Consultation Service, Ottawa, Canadá, em 2010.

5. Realizei e concluí a pós-graduação em Gestão em Unidades de Saúde, Universidade Católica Portuguesa, em 2011.

6. Foi precisamente, este meu percurso académico que esteve na base do convite que me foi endereçado para criar e iniciar os cuidados paliativos na RAM no ano de 2012. Fui então nomeada Coordenadora da Rede Regional de Cuidados Paliativos, que engloba a Unidade de Cuidados Paliativos.

7. O primeiro Plano Estratégico emanado pela Comissão Nacional de Cuidados Paliativos surge em 2017/2018. Previamente a esta data seguimos as orientações internacionais da European Association for Palliative Careno que respeita à formação de todos os profissionais que englobam os cuidados paliativos na RAM. O plano estratégico 2019/2020 está em vigor.

8. Pela formação contínua, necessária à carreira médica, frequentei e concluí ainda a pós-graduação específica “Lisbon Series - Palliative Care for Non-Cancer Patients”, na Universidade Católica Portuguesa, em 2016.

9. Fui também responsável pela acreditação da Unidade de Cuidados Paliativos do SESARAM, EPE - Primeira unidade de cuidados paliativos acreditada pela DGS (2014-2018).

10. Do meu percurso, destaco ainda, a atividade de docente convidada no mestrado em Cuidados Paliativos da Universidade Católica Portuguesa.

11. No mesmo âmbito, colaboro na Pós-Graduação em Cuidados Paliativos e nos Cursos de Enfermagem Médico-Cirúrgica ministrados pela Escola Superior de Enfermagem São José de Cluny na Madeira.

Pelo exposto, fica claro que são falsas as declarações feitas no artigo de opinião, que além de faltarem à verdade, são ofensivas, pois atacam e prejudicam o meu bom nome e a seriedade, rigor e profissionalismo, que sempre imprimi ao meu percurso académico e profissional.

A minha nomeação está sustentada no meu trabalho e investigação, cumprindo a lei, hoje, como sempre.

Peço, por isso, a sua melhor atenção para que a verdade seja reposta.

Com os melhores cumprimentos e consideração,

Licínia Lara Araújo