Von der Leyen divulga nomes do seu colégio mas só revela pastas na terça-feira

Elisa Ferreira ficará responsável pela Política Regional, a pasta que lhe tem sido apontada, e que inclui a gestão dos fundos estruturais e de coesão

09 Set 2019 / 11:40 H.

A presidente eleita da Comissão Europeia divulgou hoje a lista com os nomes dos comissários europeus designados por cada Estado-membro e que tiveram o seu aval, reservando para terça-feira o anúncio das pastas atribuídas a cada um.

Em comunicado, a equipa de transição do executivo comunitário indica que Ursula von der Leyen deu o seu aval à lista provisória de comissários designados pelos Estados-membros -- que terão ainda de receber ‘luz verde’ do Parlamento Europeu -, e divulga a lista de 26 comissários (o Reino Unido não designou comissário, dado ter prevista a sua saída do bloco europeu em 31 de outubro, véspera da entrada em funções da nova Comissão Europeia).

A única dúvida que persistia era sobre o comissário da Roménia, dado Bucareste ter apresentado dois nomes (um homem e uma mulher, tal como a presidente eleita solicitara), tendo a escolha recaído então sobre a até agora ministra do Ambiente, Rovana Plumb, o que leva a que o colégio de Ursula von der Leyen tenha um número recorde de 13 mulheres, incluindo a própria (e 14 homens).

Na terça-feira, numa conferência de imprensa em Bruxelas às 12 horas (11 horas em Lisboa), na sede do executivo comunitário, Von der Leyen anunciará a distribuição de pastas entre os comissários, “e a forma como pretende organizar o trabalho da próxima Comissão Europeia”.

Relativamente aos pelouros atribuídos a cada comissário, os governos nacionais têm mantido a discrição habitual nestes casos, dado caber à presidente eleita fazer o anúncio formal.

Portugal não foge à regra, com o primeiro-ministro a escusar-se a confirmar se Elisa Ferreira ficará responsável pela Política Regional, a pasta que lhe tem sido apontada, e que inclui a gestão dos fundos estruturais e de coesão.

Na passada sexta-feira, em entrevista à Antena 1, o primeiro-ministro, António Costa, garantiu apenas que Elisa Ferreira assumirá uma pasta “importante para Portugal”, acrescentando que o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, partilha da mesma opinião.

No final do mês de Setembro, início de Outubro, deverão ter início as audições dos comissários designados perante as respectivas comissões do Parlamento Europeu, que se pronunciará sobre o colégio como um todo em 22 de Outubro.

O novo colégio deverá depois ser formalmente aprovado pelo Conselho da União Europeia, para entrar em funções em 1 de Novembro.

Lista de comissários designados para o executivo comunitário liderado por Ursula von der Leyen, para um mandato que terá início em 1 de Novembro próximo, até 31 de Outubro de 2024:

Alemanha: Ursula von der Leyen, presidente eleita (PPE). Antiga ministra da Defesa alemã.

Áustria: Johannes Hahn (PPE) -- Actual comissário responsável pelo Alargamento, foi também já comissário de Durão Barroso, com a pasta da Política Regional.

Bélgica: Didier Reynders (Renovar) -- Ministro dos Negócios Estrangeiros belga.

Bulgária: Mariya Gabriel (PPE) -- Actual comissária da Economia e Sociedade Digitais.

Chipre: Stella Kyriakides (PPE) -- Deputado, antigo presidente da assembleia parlamentar do Conselho da Europa.

Croácia: Dubravka Suica (PPE) -- Eurodeputada e antiga autarca de Dubrovnik.

Dinamarca: Margrethe Vestager (Renovar) -- Actual comissária da Concorrência, foi ‘candidata principal’ dos Liberais ao cargo de presidente da Comissão Europeia.

Eslováquia: Maros Sefcovic (S&D) -- Vice-presidente na ‘Comissão Juncker’ com a pasta da União da Energia.

Eslovénia: Janez Lenarcic (Renovar) -- Diplomata, embaixador da Eslovénia junto da UE.

Espanha: Josep Borrell (S&D) -- Presidente do Parlamento Europeu entre 2004 e 2006, será o Alto Representante da UE para a Política Externa.

Estónia: Kadri Simson (Renovar) -- Antiga ministra da Economia, já se encontra no actual colégio da Comissão Europeia, ao ter sido a eleita para suceder ao comissário Andrus Ansip, que depois das eleições europeias decidiu cumprir o mandato de eurodeputado.

Finlândia: Jutta Urpilainen (S&D) -- Antiga ministra das Finanças finlandesa.

França: Sylvie Goulard (Renovar) -- Antiga eurodeputada e ministra da Defesa.

Grécia: Margaritis Schinas (PPE) -- Antigo eurodeputado, foi o principal porta-voz da Comissão liderada por Jean-Claude Juncker desde 2014.

Holanda: Frans Timmermans (S&D) -- Actual primeiro-vice-presidente da ‘Comissão Juncker’, com a pasta do Estado de Direito, foi o ‘candidato principal’ dos Socialistas europeus à presidência da Comissão Europeia, e voltará a assumir uma vice-presidência.

Hungria: László Trócsányi (PPE) -- Antigo ministro da Justiça, actualmente eurodeputado.

Irlanda: Phil Hogan (PPE) -- Actual comissário europeu da Agricultura.

Itália: Paolo Gentiloni (S&D) -- Antigo primeiro-ministro, foi o último nome a ser apresentado a Von der Leyen, pela nova coligação no poder em Itália.

Letónia: Valdis Dombrovskis (PPE) -- Actual vice-presidente da ‘Comissão Juncker’ com a pasta do Euro.

Lituânia: Virginijus Sinkevicius (Verdes) -- Ministro da Economia lituano, pode tornar-se dos mais jovens comissários europeus de sempre (tem 28 anos).

Luxemburgo: Nicolas Schmit (S&D) -- Antigo ministro do Trabalho, é actualmente eurodeputado.

Malta: Helena Dalli (S&D) -- Antiga ministra da Igualdade.

Polónia: Janusz Wojciechowski (ECR) -- Antigo eurodeputado, é designado pelo único partido eurocéptico representado na Comissão (Lei e Justiça).

Portugal: Elisa Ferreira (S&D) -- Antiga ministra dos governos chefiados por António Guterres, primeiro do Ambiente, entre 1995 e 1999, e depois do Planeamento, entre 1999 e 2002, eurodeputada entre 2004 e 2016, ex-vice-governadora do Banco de Portugal.

República Checa: Vera Jourova (Renovar) -- Actual comissária responsável pela pasta da Justiça.

Roménia: Rovana Plumb (S&D) -- Actual ministra do Ambiente.

Suécia: Ylva Johansson (S&D) -- Actual ministra do Emprego.

(Reino Unido não designou qualquer candidato, uma vez que mantém a intenção de abandonar a UE em 31 de Outubro, véspera da entrada em funções da nova Comissão Europeia).

Outras Notícias