Um empresário de sucesso na Venezuela que hoje luta pela sobrevivência

14 Fev 2019 / 10:39 H.

Oliveros Poras é motorista e guia um jipe velho, vermelho, que transporta um grupo de jornalistas que vão conhecer um projeto de ajuda alimentar para crianças num bairro de Catia, oeste de Caracas.

É um homem desencantado com a vida, não sabe como vai sobreviver com a crise a agravar-se dia para dia com uma hiperinflação galopante.

“Todos os dias as coisas ficam mais caras. Todos os dias fecham mais empresas. Isto assim, não sei...”, diz.

Oliveros tem 52 anos, hoje vive com dificuldades económicas, mas já foi um empresário de sucesso, com dois jipes e dois autocarros. Chegou a ter cinco funcionários que trabalhavam para ele.

O negócio começou a desmoronar-se em 2015, e chegou a cair 80%. Já não tinha forma de pagar aos empregados, teve que despedir quase todos e vendeu metade da frota.

Hoje trabalha como motorista no seu Toyota vermelho, velhinho, e mantém ainda um autocarro e um motorista.

Não conseguiu manter os seus dois filhos na Venezuela: a filha viajou para a Argentina e o filho foi viver para o Peru.

Diz que aquilo que ganha hoje em dia não dá para nada. “Não dá para viver. Não nos alimentamos bem, não temos medicamentos, esta crise é um pesadelo”, desabafa.

Lamenta que não se veja uma solução para o país no horizonte, mas já começa a pensar que se houver uma mudança de regime talvez as coisas possam melhorar.

“Talvez com um novo governo a economia melhore um pouco, se voltarem para a Venezuela empresas internacionais pode haver mais emprego”, explica.