Marcha apelou à “independência republicana” em Barcelona

10 Nov 2019 / 00:01 H.

Centenas de jovens ativistas do Comité de Defesa Republicano manifestaram-se ontem no centro de Barcelona tendo sido dispersados após uma carga policial sem incidentes.

Em pleno dia de reflexão eleitoral, o Comité de Defesa da República (CDR)convocou uma marcha ao início da noite obrigando as autoridades policiais a condicionar durante quase duas horas o trânsito no centro da capital catalã.

“Independência, República e Liberdade para os Presos Políticos”, foi a primeira palavra de ordem da marcha do CDR, que saiu da Praça da Universidade, onde se concentraram durante toda a tarde milhares de pessoas que assistiram a atuações musicais de protesto e de apelo à independência.

Chegados à Praça da Catalunha, no centro de Barcelona, centenas de jovens do CDR tentaram forçar os primeiros cordões da Polícia Nacional e dos Mossos d’Esquadra, o corpo policial da região autónoma espanhola.

“Fora com as forças da ‘ocupação’”, gritaram os jovens que se aproximavam das barreiras policiais, obrigando os agentes a cortar o trânsito automóvel e a reter, por motivos de segurança, os cidadãos que se encontravam no interior dos estabelecimentos comerciais.

Os manifestantes do CDR tentaram várias vezes forçar a passagem em direção à Praça Urquinaona, a apenas um quarteirão da Praça da Catalunha, e onde se encontra o comando da polícia de Barcelona.

“Guarda a pistola”, diziam os manifestantes, que insultavam a polícia ao mesmo tempo que lançavam ovos na direção dos veículos das autoridades, na primeira vez que tentaram forçar a passagem.

Passadas quase duas horas, na rua San Pere, um grupo de jovens tentou barricar-se atrás de dois contentores de lixo, que fez tombar no meio da rua, tendo depois lançado garrafas de vidro e pedras contra a polícia.

Os elementos do corpo de intervenção, com bastões e escudos, acabaram por carregar sobre os manifestantes, que dispersaram nas ruas do centro de Barcelona.

A marcha foi convocada a meio da tarde, através das redes sociais, pelo CDR.

Paralelamente, a organização sem rosto “Tsunami Democrático”, responsável pela ocupação do aeroporto de Barcelona, em outubro, apelou à “desobediência civil”, organizando uma série de protestos em “toda a Catalunha”, na véspera das eleições gerais em Espanha.

Apesar dos protestos, marchas e concertos de apelo à independência, o comércio manteve-se a funcionar na capital catalã.

Outras Notícias