EUA sancionam empresa estatal venezuelana de mineração de ouro

19 Mar 2019 / 16:36 H.

Os Estados Unidos sancionaram hoje a empresa estatal de mineração venezuelana Minerven, que opera no setor do ouro, e o seu presidente, Adrián Antonio Perdomo, segundo o departamento do Tesouro dos EUA.

“Vamos perseguir agressivamente os envolvidos com o imprudente comércio ilícito de ouro do (Presidente da Venezuela Nicolás) Maduro que está a contribuir para esta crise financeira, humanitária e ambiental”, indicou o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin.

Em comunicado, Steven Mnuchin considerou que “o regime ilegítimo de Maduro está a roubar a riqueza da Venezuela, ao mesmo tempo que coloca em perigo as populações indígenas ao invadir áreas protegidas e provocando a desflorestação e a perda de habitat”.

A empresa Minerven, propriedade do Estado venezuelano e sediada na cidade de El Callao, dedica-se à exploração e ao processamento de ouro das minas de Guayana, no sul do país.

Nos últimos meses, o Governo dos EUA aumentou a pressão contra as autoridades venezuelanas ligadas a Maduro, alertando que a Venezuela está a recorrer de forma crescente ao comércio de ouro sem controlo ambiental ou contabilidade para financiar alegadas redes de corrupção.

“A mineração e a posterior venda de ouro têm sido uma das estratégias financeiras mais lucrativas do regime de Maduro nos últimos anos, uma vez que centenas de milhares de mineiros extraíram ouro de minas improvisadas e perigosas no sul da Venezuela, todas controladas pelo exército venezuelano”, explicou o departamento do Tesouro.

O executivo do Presidente dos EUA, Donald Trump, denunciou que esses mineiros e as suas comunidades “estão expostos a abusos ambientais”, na medida em que utilizam elementos tóxicos perigosos, como o mercúrio, no processo de mineração.

Em janeiro, o conselheiro de Segurança Nacional da Casa Branca, John Bolton, advertiu que os Estados Unidos estão preparados para agir contra quem faça negócios com a Venezuela relacionados com ouro ou petróleo, dois dias após terem imposto sanções à empresa estatal petrolífera venezuelana, PDVSA.

Os EUA também anunciaram, em novembro, sanções a cidadãos e empresas americanas que realizem “transações fraudulentas e corruptas” com ouro venezuelano, embora até ao momento não tenham ocorrido restrições impostas às empresas ilícitas com este setor.