Estudantes mantêm protesto no centro de Barcelona

08 Nov 2019 / 16:36 H.

Estudantes, jovens anarquistas, independentistas e antimonárquicos catalães mantêm-se acampados no centro da cidade de Barcelona em protesto pela libertação dos detidos durante as manifestações das últimas semanas.

“Há duas semanas houve aqui agressões policiais devido às barricadas que montamos por causa das sentenças contra os políticos. Nessa altura muitos manifestantes acabaram na prisão e, por isso, tudo isto também é uma resposta sobre a situação dessas pessoas que agora não têm voz”, disse à Lusa Juan M., jovem manifestante que se encontra acampado na praça desde o início do protesto.

Centenas de jovens mantêm a concentração acampados em tendas de campismo rodeadas de frágeis “barricadas” erguidas com paletes de madeira, caixas de fruta e caixotes de lixo.

No local, frente à universidade pública há bandeiras de todas as cores: independentistas, com símbolos contra a monarquia espanhola e estandartes negros das organizações anarquistas de Barcelona e grupos comunistas.

“Eu defino isto como um fenómeno social, não é só independentista”, destaca o jovem manifestante que não sabe quando o protesto vai chegar ao fim.

“As eleições são no domingo. Aqui em frente temos a universidade pública de Barcelona onde vai ser instalada uma assembleia de voto. Por isso, não tenho a certeza de que vamos conseguir ficar aqui no dia das eleições”, diz Juan M., que admite problemas com as autoridades e com grupos de cidadãos “adversários” nas próximas 48 horas.

“Pode haver grandes problemas porque aqui podem aparecer pessoas a favor do acampamento e pessoas contra e é bastante provável que antes das eleições nos tirem a todos daqui para fora”, diz.

Apesar da questão independentista, o mesmo estudante insiste que há questões sociais que também fazem parte das reivindicações dos jovens acampados.

“Aqui há pessoas que também reivindicam o direito à habitação na cidade e, por isso, a forma da manifestação que temos aqui que é viver na rua é adequada para o que se quer dizer porque o preço das rendas de habitação aqui em Barcelona são um problema”, acrescenta.

As autoridades municipais cortaram o acesso rodoviário à zona da universidade tendo sido instaladas barreiras nas ruas que rodeiam a praça condicionando o trânsito automóvel.

Ao princípio da tarde a maior parte dos jovens ainda dorme nas tendas, alguns reúnem-se em “assembleia” e a única música que se escuta: “Corazón Partido” não é um hino revolucionário e nem sequer é uma canção de protesto.

Outras Notícias