Reunião de Câmara debateu apoio às famílias, ambiente e educação

06 Dez 2018 / 15:25 H.

A reunião de Câmara do Funchal abordou hoje três áreas distintas, nomeadamente a área do apoio às famílias, o ambiente e o desporto.

De acordo com o presidente Paulo Cafôfo, porta-voz das deliberações, o apoio às famílias tem sido uma preocupação deste executivo. Nesta área, realçou o facto de o Funchal ter recebido, uma vez mais, o galardão de autarquia familiarmente responsável, considerado importante por ir “ao encontro das nossas políticas de famílias, através de apoios que vai desde a creche ao ensino superior”.

Nesta matéria, frisou o facto das candidaturas às bolsas de estudo universitárias estarem já encerrada, tendo recebido 1424 candidaturas que estão a ser analisadas pelos serviços camarários. Realçou que esta questão “é mais um compromisso eleitoral que assumi e que está a ser cumprido no apoio claro à educação”.

O pagamento será trimestral e a autarquia espera ter o processo concluído com a maior celeridade.

Cafôfo relembrou os “números penalizadores” que a Madeira apresenta na área da educação, como a mais alta taxa de analfabetismo do país (8,1%), o abandono escolar precoce na ordem dos 23% e em termos de conclusão do ensino secundário, 66% da população abandona o secundário, enquanto que 11,1% conclui o ensino superior. Números que preocupam o presidente da Câmara, apontando para um “défice de pessoas qualificadas”. Daí que este investimento na área da educação seja importante porque “é preciso gente qualificada que possa levar esta Região para a frente.

Na área do ambiente, o Funchal recebeu novamente o galardão Eco XXI, a bandeira verde atribuída às autarquias pelas boas práticas ambientais, desde a água, ao ar, passando pelos resíduos, mobilidade e espaços verdes. Este ano a Câmara do Funchal teve mais 10 pontos, significando uma “melhoria na qualidade da nossa cidade”.

Cafôfo destacou ainda o galardão do Município Azul, ligado à Frente Mar Funchal e ao departamento de ambiente, pela sensibilização ambiental feita nos complexos balneares na área da ecologia do mar.

Quanto ao desporto, elogiou o prémio Município Amigo do Desporto, um galardão que não é só para a câmara, mas sim para as associações e os clubes com quem trabalha, até mesmo para os atletas que investem nos seus resultados. “É ainda um prémio para a inclusão porque olhamos para o desporto como uma forma de inclusão”, salientando que os apoios ao associativismo tem sido uma “aposta ganha”.