Presidente da Juventude Popular condena nomeação de Lino Abreu para Horários do Funchal

13 Jan 2020 / 15:56 H.

O ex-deputado do CDS-PP, Lino Abreu, vai ficar como assessor do conselho de administração da Horários do Funchal, confirmou o DIÁRIO junto de fonte próxima do processo.

Só que a notícia, avançada pelo Funchal Notícias, não agradou a todos os centristas, como manifestou o presidente da JP - Juventude Popular Madeira, através da sua página do Facebook.

Pedro Pereira condenou publicamente a nomeação de Lino Abreu como assessor da Horários do Funchal (HF). O presidente da JP acusa o próprio partido de comprometer a transparência que política exige: “É impossível poder concordar ou aceitar a nomeação do Lino Abreu para um cargo público! Não quero acreditar que o meu partido, de carácter Democrata-Cristão, possa aceitar nomear uma pessoa que foi condenada, em todas as instâncias, por corrupção. A política exige transparência e integridade!”.

O presidente da JP escreve ainda que “são atitudes como esta que afastam os eleitores da política”, e reprova a escolha de Lino Abreu como assessor da empresa pública: “Não foi certamente para isto que os eleitores retiraram a maioria absoluta ao PSD! O momento que vivemos é histórico e exige do meu partido uma atitude exemplar que demonstre o que andamos a dizer este tempo todo: existe mais vida na Madeira para além do PSD e existe na Madeira mais soluções de governo responsável para além do PSD!”.

Pedro Pereira diz esperar que a notícia da nomeação do ex deputado do CDS para assessoria da HP seja “falsa” e, futuramente, “desmentida”.

“Não quero acreditar que o CDS passará a mensagem de que aceita, ou pior, apoia actos de corrupção. A seu tempo transmitirei internamente, nos órgãos do partido, esta minha posição”, remata o presidente da JP.