Madeira já recebeu 19 viaturas eléctricas provenientes do Fundo Ambiental nacional

25 Nov 2019 / 17:34 H.

A Madeira já recebeu até ao momento 19 viaturas eléctricas do Fundo Ambiental criado pelo Ministério do Ambiente, que incentiva as administrações públicas a fazerem a renovação da sua frota automóvel através da introdução de viaturas eléctricas.

A informação foi veiculada esta tarde pelo vice-presidente do Governo Regional, na entrega de 10 viaturas eléctricas a diversas entidades públicas.

Segundo Pedro Calado, trata-se de veículos que a Região Autónoma da Madeira tem direito, uma vez que contribui para o fundo ambiental com vista à substituição de viaturas da administração pública.

Calado considera que este é um bom exemplo de “uma melhor educação ambiental” e da introdução de uma “política mais limpa, sem o uso de combustíveis fósseis”.

O governante salientou a “política incentivarmos” levada a cabo pelo Governo Regional na utilização de viaturas eléctricas através de uma política que tem por base a “descarbonização do Porto Santo, através do projecto ‘Porto Santo Sustentável’ que elimina dióxido de carbono e o uso de combustíveis fósseis através da utilização de viaturas eléctricas”.

Nesta matéria, relembrou a aposta do Governo na introdução de viaturas eléctricas no Porto Santo, com a introdução de um incentivo financeiro (cerca de 10 mil euros) à população do Porto Santo para a compra de viaturas eléctricas. Um programa que “tem corrido bem”, esperando poder replicá-lo na Madeira no próximo orçamento Regional.

Segundo o governante, esta política ambiental não passa só pela introdução de viaturas eléctricas. Há outras políticas ambientais, como a barragem termoeléctrica da Calheta que vai permitir em 2020/21, que 50% da energia produzida na RAM seja de fontes renováveis mostrando que a política ambiental do GR “começa a ser um sucesso e uma realidade cada vez maior”.

Outra medida está em estudo, como a introdução de mais postos de abastecimento eléctricos em toda a ilha. “Temos um plano de expansão e vamos progredir nessa matéria, esperando que em 2020, a Empresa de Electricidade da Madeira faça essa expansão com mais postos de abastecimento em toda a ilha”,, referiu Pedro Calado, colocando a hipótese de introduzir uma taxa de pagamento sobre cada abastecimento.