Madeira é penúltima no Índice Digital Regional de 2018

29 Mai 2019 / 09:00 H.

A Madeira não consegue sair do penúltimo lugar do Índice Digital Regional (IDR), sendo a 6.ª entre as sete regiões do País. Os dados constam da tabela de 2018 que confirma que a Região da Área Metropolitana de Lisboa (AM Lisboa) continua o seu afastamento face à média das regiões NUTs II portuguesas no desempenho na Sociedade da Informação, reforçando a larga distância que mantém em relação à segunda região melhor classificada, novamente a região Norte. A última posição é ocupada pela Região Autónoma dos Açores.

O Índice Digital Regional (IDR) é um instrumento concebido pela Universidade do Minho no âmbito do Gávea – Observatório da Sociedade da Informação que permite, com base em informação estatística secundária, uma caracterização mais aprofundada das diferentes realidades nacionais no desenvolvimento da Sociedade da Informação. Com este instrumento torna-se possível a identificação e medição do nível das assimetrias regionais existentes no processo de construção da Sociedade da Informação em Portugal.

Para Luís Miguel Ferreira, autor do estudo, “na edição deste ano do IDR continua a verificar-se uma tendência de afastamento do desempenho da região de Lisboa em relação à média nacional, o que vem acentuar as assimetrias regionais na construção da Sociedade da Informação em Portugal”. “Depois de tantos anos de muitos milhões de euros em Fundos Estruturais aplicados na coesão e na convergência territoriais, depois de tantos alertas colectivos para a necessidade de maior equilíbrio no desenvolvimento regional, a verdade é que em aspectos tão relevantes que caraterizam a Sociedade da Informação, as assimetrias persistem e, em alguns casos, continuam a agravar-se”, sustenta o investigador do Gávea – Observatório da Sociedade da Informação da Universidade do Minho.

O posicionamento das sete regiões no ranking do IDR mantém-se inalterado em relação à edição anterior. Para além da manutenção da Região de Lisboa na primeira posição (o que já se verificou na totalidade das edições anteriores do índice), há a referir ainda a manutenção, pelo segundo ano consecutivo, da região Norte no 2.º lugar, bem como na 3.ª posição do Centro. Na 4.ª posição surge a região do Algarve e em 5.º lugar o Alentejo. Antes dos Açores que ocupam a 7ª e última posição, aparece a Madeira em 6º lugar.

Todas as regiões, excepto a região do Alentejo (cujo score desceu 3,4%) acompanham a subida da média nacional no score final em relação à edição anterior (ainda que residual, cifrou-se numa subida de 0,2%). As maiores subidas registaram-se nos. Açores (8,2%) e na Madeira (3,4%).

Por outro lado, à excepção da região do Alentejo que se afastou da média apurada para Portugal, todas as regiões viram, entre 2017 e 2018, o seu score no IDR aproximar-se da média nacional. Por sua vez, a média nacional ficou ainda mais distante do score registado na região da AM Lisboa.

Tópicos

Outras Notícias