JP-Madeira defende associativismo estudantil como mecanismo para melhorar o sistema de ensino

19 Jun 2019 / 19:33 H.

A Juventude Popular da Madeira, juventude partidária do CDS-PP Madeira, reuniu esta quarta-feira com a Associação de Estudantes da Escola Básica e Secundária Gonçalves Zarco com o objectivo de auscultar as preocupações dos jovens sobre o associativismo juvenil e estudantil e o futuro da educação na Região.

As duas organizações partilharam a visão da necessidade de envolver os estudantes no processo de decisão e elaboração dos programas curriculares, modelos pedagógicos das escolas e nas suas decisões do dia a dia. Ambas as organizações acreditam que esta envolvência dos jovens no processo de decisão potenciará uma maior proximidade dos estudantes ao sistema de ensino e melhores resultados escolares. Defenderam ainda que esta visão permitirá formar os jovens com competências importantes na sociedade actual, tais como o pensamento crítico ou a criatividade, visto que o envolvimento dos jovens nestes processos de decisão forçá-los-á a desenvolver estas competências.

Pedro Pereira, Presidente da Juventude Popular da Madeira aproveitou o momento para enaltecer o trabalho que estes jovens dirigentes tiveram na criação desta associação de estudantes e para reforçar a importância que o associativismo estudantil tem na defesa dos interesses dos estudantes no sistema de ensino. O jovem centrista defendeu que “se os jovens tiverem unidos e empenhados nas mudanças que querem para a educação, essa voz de união terá seguramente o peso político necessário para ser ouvida”.

Outras Notícias