Exictos passa a designar-se Asseco PST

Empresa de tecnologias de informação tem raízes na Madeira

16 Out 2018 / 21:13 H.

A empresa tecnológica de origem madeirense Exictos anunciou hoje a sua nova marca e identidade corporativa, passando a designar-se Asseco PST.

A mudança de nome culmina o processo de integração e uniformização no Grupo Asseco, uma das maiores multinacionais europeias de software, com presença em mais de 50 países e uma faturação global de 2 mil milhões de euros.

Quanto à escolha da sigla PST (Portuguese Speaking Territories) assume também um duplo significado. Por um lado, dá corpo à nova marca com a qual a empresa pretende continuar a afirmar-se em todos os mercados lusófonos onde já actua. Por outro, é um tributo à sua história de 30 anos e às suas origens madeirenses enquanto Promosoft.

Da anterior marca, assume o know how, talento e 30 anos de experiência no sector, desde as suas raízes no Funchal, em 1988. E a ambição. O plano de crescimento da ASSECO PST motivou a necessidade de mudança de instalações em Lisboa para um espaço com cerca de 2.200m2 (metros quadrados) e cerca de 260 postos de trabalhos, sendo o terceiro investimento realizado em novas infraestruturas nos últimos 18 meses, depois de investimentos idênticos no Funchal e nos arredores de Luanda, anunciou a empresa em comunicado.

Além da presença em Portugal, a Asseco PST possui filiais em Angola, Moçambique e Cabo Verde. Nos restantes mercados (São Tomé e Príncipe, Timor Leste, Malta e Namíbia) atua a partir de Portugal, onde está instalada a sua base operacional, fazendo deslocar regularmente gestores e técnicos às diversas geografias para acompanhar os projetos em curso.

Contando com cerca de 400 colaboradores, a empresa registou um volume de negócios consolidado de 33,4 milhões de euros em 2017. Do seu portfólio de clientes fazem parte mais de 60 bancos, o que faz da Asseco PST uma das empresas líderes de mercado no espaço da língua portuguesa.

Nem só do sector bancário vive o Grupo Asseco, pois desenvolve também soluções para empresas de energia, telecomunicações, setor público e serviços de saúde.

Tópicos