“Empresário está a beber o próprio veneno”

Reação de Filipe Sousa, presidente da Câmara de Santa Cruz, à manchete de hoje no DIÁRIO

10 Nov 2019 / 15:21 H.

“O tempo de “roubar” o povo de Santa Cruz já passou há muito tempo e não faz parte da nossa forma de fazer política”. É desta forma que Filipe Sousa, presidente da Câmara Municipal de Santa Cruz começa por reagir à manchete de hoje do DIÁRIO, que dá conta que no dia em que a autarquia aprovou o início do processo de expropriação da Quinta Escuna, a empresa Tijolo Branco, dona da propriedade, entregou na Secretaria do Turismo um projecto para a construção de duas unidades, com 328 quartos no total, da marca francesa Accor Hotels.

“As casas não se constroem pelo telhado, indo numa correria desenfreada à casa do amigo Governo e do amigo do PSD, entregar desenhos e colagens infantis e já, pasme-se, com sentenças dadas de que tudo está de acordo com o PDM e PU (plano de urbanização)”, prossegue o autarca do JPP.

Adiante, Filipe Sousa realça que “essas intenções violam esses instrumentos, e que este empresário está a beber do próprio veneno, pois a zona foi cozinhada para servir os seus interesses, em detrimento do interesse do povo de Santa Cruz. Recordo que este empresário iria receber todos os meses o ‘euromilhões’, caso a negociata e o contrato mantido entre este e o PSD se mantivesse. Por ano, custaria ao povo de Santa Cruz, mais de 1,6 milhões de euros e durante a vigência do contrato (17 anos), mais de 27 milhões de euros. Com esta correria desenfreada nota-se claramente que o objectivo é valorizar um prédio quando efectivamente as regras de avaliação estão pré-definidas e aprovadas”, avisa.

Lembra que “o Governo não licencia e os tempos ‘sem lei nem roque’, já passaram. Ou seja, os tempos de negociatas para os amigos em prejuízo da população é algo que nunca permitiremos que volte a acontecer em Santa Cruz”, assume o presidente do Município.

Considera ainda que “não deixa de ser coincidência a mais o facto das pressões exercidas sobre o vereador Arlindo, para que este renuncie ao mandato. Este facto mostra claramente a coerência e a filosofia do PSD que castiga quem defende o povo e premeia os amigos do regime. As prioridades do PSD continuam a ser a dos seus “jobs for the boys” não interessando o povo e os seus interesses”, denuncia.

A terminar, o autarca que destronou o PSD do poder camarário em 2013, assume que “da nossa parte continuaremos a defender o povo de Santa Cruz e para o prédio da Quinta Escuna temos tudo bem definido e com a determinação que nos caracteriza! Iremos dar uma nova imagem a todo aquele espaço com a centralização de serviços e construção de equipamento que serão utilizados pela população em geral”, assegura.

Outras Notícias