CDS diz que protocolo entre taxistas e Governo Regional “não é pago a tempo e horas”

19 Out 2018 / 14:41 H.

“O CDS-PP Madeira convida o Governo Regional a “pagar a tempo e horas” os serviços que são prestados pelos profissionais táxi no transporte de doentes não urgentes e a cumprir com o protocolo assinado em Fevereiro deste ano, entre o Serviço Regional de Saúde (SESARAM) e a Associação Industrial de Táxi da Região Autónoma da Madeira (AITRAM)”.

O desafio é de Rui Barreto, líder do CDS Madeira depois da reunião mantida esta manhã com a direcção da AITRAM.

O líder dos centristas mencionou a importância do serviço prestado pelos taxistas em toda a Região, quer à população em geral, quer aos turistas, mas também no transportes de doentes. Registou as dificuldades por que passa o sector e a necessidade de estes profissionais terem de se adaptar aos novos desafios, empreenderem formas mais criativas de relacionamento com os clientes e entrarem na era do digital. “É preciso avançar para uma plataforma que permita uma resposta mais rápida entre as necessidades dos clientes e os serviços que prestam”, sugere Rui Barreto.

Foi ainda abordada a questão dos atrasos do Governo Regional no pagamento do transporte de doentes em táxi, considerados “crónicos”.

Considera que acordo assinado pelo SESARAM e a AITRAM é “um bom protocolo que veio ajudar a regulamentar as relações entre o Governo e a AITRAM”. No entanto, uma vez que os pagamentos acordados ainda não estão a ser feitos, desafia o executivo de Miguel Albuquerque a pagar “a tempo e horas, e dentro da lei dos compromissos”.

2017 registou 134.378 mil serviços de transporte de doentes em táxi

De acordo com o CDS, a AITRAM lançou há algum tempo o serviço ‘Táxi Voucher’ numa tentativa para ganhar novos clientes através de um serviço personalizado, eficaz e mais barato, que poderá ser utilizado por empresas, autarquias, entidades governamentais e pessoas individualmente. “Muitas vezes as autarquias compram viaturas para prestar serviços aos munícipes e podiam substituir esses encargos contratando serviços diários esporádicos aos taxistas, valorizando os taxistas, dando-lhes trabalho e poupando recursos ao Estado”, explicou o dirigente partidário.

António Loreto, presidente da AITRAM, diz que o “Táxi Voucher” poderia funcionar como uma “resposta das autarquias às necessidades dos moradores em localidades com carências de transportes públicos, em particular em zonas onde o serviço não se justifica uma camioneta, sendo o táxi o suficiente para cumprir com o serviço público de passageiros”.

A reunião entre Rui Barreto e António Loreto contou ainda com a presença do presidente do CDS Madeira, José Manuel Rodrigues.