Albuquerque fala em união para vencer Regionais do próximo ano

Líder do PSD-Madeira diz que concurso para novo hospital será lançado na próxima semana

13 Dez 2018 / 22:38 H.

‘Mais do que um partido, uma família’ foi o slogan que deu o mote para mais um jantar de Natal do PSD-Madeira. O evento que decorreu esta noite, no Madeira Tecnopólo, contou com a intervenção de Miguel Albuquerque, que pediu união para que os social-democratas possam vencer as eleições regionais do próximo ano.

Na sua intervenção, Albuquerque afirmou que “mais do que um partido, o PSD-Madeira é uma família de homens e de mulheres livres e preparados para o futuro”. “Só com PSD no Governo da Madeira, em defesa da Autonomia, os madeirenses vai continuar a ter liberdade, desenvolvimento económico, justiça e coesão social”, afiança o partido.

Aproximadamente 2.500 militantes marcaram presença no jantar.

Líder do PSD-Madeira diz que concurso para novo hospital será lançado na próxima semana

Albuquerque anunciou que o concurso para o novo hospital da região será lançado na próxima semana e garantiu que a obra, orçada em 340 milhões de euros, vai mesmo concretizar-se.

“Ao contrário do que o [António] Costa e o Governo central pensavam, na próxima semana o concurso do novo hospital da Madeira vai ser aberto e [o hospital] vai ser construído, quer queiram, quer não”, afirmou Miguel Albuquerque, perante cerca de 2.000 militantes e simpatizantes, no Funchal.

Albuquerque, que lidera o PSD e o Governo Regional, assegurou ainda que o executivo vai cumprir “todos os compromissos” que assumiu no início do mandato, em 2015, e mostrou-se seguro na vitória nas três eleições de 2019: europeias (em maio), regionais (setembro) e legislativas (outubro).

“Só com o PSD no governo, só com o PSD a governar na Madeira, o povo madeirense continuará a ter liberdade para expressar a sua vontade coletiva, continuará a ter crescimento económico, continuará a ter desenvolvimento, continuará a ter justiça e coesão social”, declarou.

Miguel Albuquerque considerou, no entanto, que o próximo ano será “muito importante” em termos de combate político e alertou para o facto de a região autónoma estar actualmente bipolarizada.

“De um lado, estamos nós, autonomistas social-democratas, aqueles que se envolveram num projecto de liberdade e autonomia para o nosso povo, aqueles que, contra todos e contra Lisboa, construíram a Madeira”, disse, vincando que do outro lado está a esquerda que “quis impor em Portugal uma ditadura marxista”.

Albuquerque referiu que o Partido Socialista e o Partido Comunista locais são “agentes do centralismo jacobino” e querem que os madeirenses e porto-santenses sejam “mandados pelo Governo central” e voltem a ser “vassalos dos senhores de Lisboa”.

“O nosso PPD nunca teve problema de combate político. Nós sabemos o que queremos, sabemos o que estamos a fazer e sabemos qual o caminho que queremos seguir”, disse o presidente do PSD/Madeira, sublinhando que o partido “só tem uma cara” perante a população.