Casa roubada, trancas à porta...

12 Set 2018 / 02:00 H.

    As gerações que nos antecederam cuidaram do Museu do Rio de Janeiro (e de Portugal) e agora morreu queimado!

    Era a mais antiga Instituição científica brasileira.

    Arderam duas bibliotecas, literalmente, 500 mil obras, quase metade das quais classificadas como raras. Em suma: 20 milhões de peças!

    Uma perda irreparável. Com responsáveis...

    Lá, como cá, despreza-se a Cultura porque mata a ignorância. O ministro da Cultura brasileiro, disse: « A Universidade é que detinha a responsabilidade do Museu». Escondeu que esta foi significativamente cortada em verbas, pelo seu ministério. O governo de M. Temer, de direita, detesta a Cultura. O Jornal do Brasil adianta que o ministro só ficou a conhecer o Museu depois da destruição(!). Cá, o poeta ministro da Cultura está à espera que o Conservatório de Música caia?! No Brasil, como em Portugal, casa roubada, trancas à porta...

    Quando o ministério da Cultura tiver peso relevante, exercemos mais cidadania e seremos mais felizes!

    Vítor Colaço Santos