Nacional sob suspeita

Comentadores nos programas de futebol nas televisões nacionais fizeram ontem à noite graves acusações ao clube madeirense

12 Fev 2019 / 09:00 H.

Diversos comentadores com voz nos programas de futebol nas televisões nacionais fizeram ontem à noite graves acusações ao clube madeirense, na sequência da goleada imposta pelo Benfica ao Nacional por 10-0.

As declarações mais polémicas foram proferidas pelo representante do Sporting no ‘Prolongamento’ da TVI24. Pedro Proença, que é também advogado, considerou ter havido “facilitismo”, realçando a “diferença inaceitável de postura competitiva” do Nacional no último domingo, quando comparada com a prestação frente ao seu Sporting e ao FC Porto.

Considerou ter sido chocante o facto dos jogadores insulares “não existirem”, de terem feito “figura de corpo presente num treino de finalização” e prestarem “mau serviço ao futebol português”. “Aquilo que me chocou não são só os números, o resultado, é que a equipa do Nacional não existiu. É exactamente igual ao que se passou no jogo com o Braga, na Luz, e com o Boavista. São estas coincidências que devem ter a ver com o alinhamento astral. (..) Estes jogadores do Nacional não tiveram brio para fazer um esforço de remar contra a maré”, referiu o comentador afecto ao Sporting.

Manifestamente desactualizado, pois considerou Bruno Patacas como director desportivo do Nacional, cargo que o mesmo já não desempenha há alguns anos, Pedro Proença, para além de julgar que a “postura do Nacional foi absolutamente inaceitável”, entende que “a única coisa de positivo foi que o Costinha não acabou o jogo a rir como o Abel Ferreira”.

No mesmo programa da TVI24, o adepto do FC Porto Manuel Serrão considerou que “o jogo foi para os apanhados”, pois parecia “solteiros contra casados”, perguntando se Nacional estava a jogar com onze e se o treinador já foi demitido ou já se demitiu. Houve até insinuações sobre o envolvimento em apostas, suspeitas desencadeadas também por Aníbal Pinto, também advogado e comentador afecto ao Porto no programa ‘Pé em Riste’ da CMTV.

Outras desconsiderações foram feitas no programa ‘Dia Seguinte’ da SIC Notícias embora mais sobre o desnível competitivo na I liga, influenciadas por declarações feitas ontem ao jornal Observador por parte de António Simões, velha glória benfiquista, que apelou à reflexão após o 10-0: “Não faz sentido que haja goleadas destas actualmente. Não faz nenhum sentido que haja estes resultados quando o conhecimento do treino e do jogo é muito maior do que há 50 anos. É difícil acreditar que os treinadores não tenham qualidade para criar uma estratégia de jogo que impeça resultados destes”.

O DIÁRIO questionou já o Nacional sobre as diversas acusações de que é alvo, aguardando que o presidente Rui Alves se pronuncie.

Tópicos

Outras Notícias