Orquestra Vegetal de Viena dá concerto em Viseu

21 Mai 2019 / 05:03 H.

A ‘Vegetable Orchestra de Vienna’ vai dar um concerto no sábado, em Viseu, no decorrer da iniciativa “Viseu Sabe Bem”, que começa sexta-feira e termina no domingo, anunciou o vereador da Cultura, Jorge Sobrado.

“É um coletivo de artistas, músicos de Viena, que passará por Viseu numa residência. Portanto, não darão apenas um grande espetáculo no sábado à noite, como farão uma residência de três dias aqui” na cidade, anunciou Jorge Sobrado.

O vereador da Cultura e presidente da Viseu Marca falava na apresentação do fim de semana “Viseu Sabe Bem”, uma iniciativa no âmbito do programa autárquico “Viseu 2019 -- Destino de Gastronomia”, e que decorre a partir das 18:00 de sexta-feira até ao final do dia de domingo, no Parque Aquilino Ribeiro.

“Tanto quanto sei já há vários anos que a Vegetable Orchestra de Vienna não está em Portugal, estiveram no Douro Vinhateiro em 2008 ou 2009, mas nunca passou pela região de Viseu”, assumiu o vereador.

Esta orquestra, fundada em 1998 e composta por “uma dúzia de elementos”, tem a singularidade de construir toda a sua instrumentação musical através de vegetais comprados no mercado da localidade onde farão o concerto para os transformarem em instrumentos musicais.

“Com esses instrumentos musicais, ‘made in Viseu’ do ponto de vista da matéria-prima e da conceção, iremos fazer um espetáculo que vai fazer uma viagem entre a música clássica, a contemporânea, nomeadamente entre as tendências mais jazzísticas”, explicou o vereador.

Segundo Jorge Sobrado, será “um momento muito curioso e muito guloso também, porque no final há uma transformação dos instrumentos em sopa”.

“Portanto, vai haver uma sopa coletiva que se irá oferecer” no parque da cidade.

O “Viseu Sabe Bem” acolherá outros momentos musicais, oficinas, ‘workshops’, ‘showcooking’, degustações, cinema, ioga, teatro, histórias e animação infantil e conferências sobre alimentação saudável e alimentação vegan, assim como aconselhamento por parte dos estudantes da Escola Superior Agrária de Viseu, parceira do evento, sobre alternativas ao sal, açúcar e as “boas e más gorduras”.

O evento, que conta com cerca de 30 operadores locais, entre os quais sete restaurantes, “começa por ser uma grande montra que vira do avesso o preconceito de que os destinos de tradições gastronómicas fortes não são também destinos de gastronomia ‘green and light’, ou seja, verde, vegetal, e leve e saudável”, defendeu Jorge Sobrado.

“É uma montra do músculo e do potencial da região de Viseu na agricultura biológica e integrada, mas também numa oferta de restauração emergente, que já tem alguns anos e que se tem vindo a consolidar nestes segmentos da comida vegetal, vegana ou da comida que tem preocupações de qualidade do ponto de vista de produção”, acrescentou.

O presidente da Câmara Municipal de Viseu considerou esta “iniciativa inédita, com um posicionamento muito próprio no ano em que Viseu promove as grandes tradições gastronómicas da região”.

“Faz sentido promover esta oferta e mostrar ao público o potencial da comida saudável, mais vegetal, mais ecológica e também mais sustentável e é uma oferta que merece ser mais valorizada e conhecida”, defendeu António Almeida Henriques.

Tópicos

Outras Notícias