Exposição com obras de 27 artistas celebra 180 anos da Academia de Belas Artes

18 Mar 2019 / 23:24 H.

A exposição “Belas Artes da Academia. Hoje”, com obras de 27 artistas académicos contemporâneos portugueses, do desenho à pintura e escultura, vai abrir ao público na quarta-feira, no Museu do Dinheiro, em Lisboa.

A mostra, resultado de uma parceria entre o Banco de Portugal e a Academia Nacional de Belas Artes, é inaugurada hoje, às 18:30, e ficará patente até 28 de abril, inserida no programa das “Comemorações do 180.º Aniversário da Fundação da Academia de Belas Artes”.

Serão exibidas obras em desenho, pintura, escultura e fotografia de artistas como Álvaro Siza, António Marques Miguel, António Pedro Ferreira Marques, António Pedro Quadros, António Vidigal, Armando Alves, Clara Meneres, Cristina Castel-Branco, Emília Nadal, Gil Teixeira Lopes, Graça Morais, Guilherme Parente, Hugo Ferrão, Isabel Sabino e Joaquim Lima Carvalho.

Também estarão obras de João Duarte, José Brandão, José de Guimarães, José João de Brito, José Laranjeira Santos, José Quaresma, Luís Filipe de Abreu, Luísa Ferreira, Manuel Gargaleiro e Mário Varela Gomes.

De acordo com a organização, a parceria resulta do facto de a Academia de Belas Artes e de o Banco de Portugal terem sido fundados, na primeira metade do século XIX, por decreto da rainha Maria II, cujo bicentenário do nascimento é comemorado este ano.

Criada em Lisboa, em 1836, a Academia Nacional de Belas Artes assumiu em decreto régio o propósito de “promover a civilização geral dos portugueses, difundindo por todas as classes o gosto do belo, e desenvolver o génio daqueles que se aplicam a tão interessantes estudos”.

No ano em que se festeja o bicentenário do nascimento de Maria II, fundadora desta instituição de utilidade pública, e também do Banco de Portugal, a exposição é dedicada à memória da monarca, segundo a organização.

Tópicos

Outras Notícias