Cerâmica contemporânea de Elsa Figueiredo na Galeria dos Prazeres

Excepcionalmente, até 8 de Março, a galeria estará aberta também à sexta-feira, além da abertura habitual ao fim-de-semana e feriados.

23 Jan 2020 / 14:55 H.

A exposição ‘Zero ao cubo’, de Elsa Figueiredo, abre amanhã (24 de Janeiro) ao público na Galeria dos Prazeres, onde estará patente até ao próximo dia 8 de Março.

A artista portuguesa realizou uma residência artística na freguesia dos Prazeres, no início do passado mês de Dezembro, onde foi buscar a inspiração para o trabalho agora apresentado.

Paralelamente, foi realizada a primeira parte de uma oficina de cerâmica que envolveu um grupo de adultos da localidade, com o objectivo de conhecer e experimentar diversas técnicas de modulação. A segunda parte da oficina teve lugar no início desta semana com a aplicação de vidrados.

Assim, ‘Zero ao cubo’ constitui-se como numa exposição que integra, por um lado, uma selecção de obras de Elsa Figueiredo e, por outro, os trabalhos orgânicos realizados pelos formandos no decurso da oficina criativa.

Com efeito, esta exposição pretende associar-se ao projecto ‘Encontros de cerâmica nos Prazeres’, uma parceria com o Museu de Arte Sacra do Funchal, que visa desenvolver actividades específicas em torno da arte e do património sob a orientação de formadores e artistas que, no meio nacional, regional e local, têm trabalhado a técnica da cerâmica.

Na sequência desta valorização da cerâmica contemporânea nos Prazeres está ser desenvolvido um outro projecto denominado ‘Vaso de Altar’, que terá a sua apresentação pública no decurso da programação da Semana das Camélias no interior da própria igreja dos Prazeres.

Referir ainda que, excepcionalmente, durante o período de exposição, a Galeria dos Prazeres estará aberta também à sexta-feira (das 10 às 13 horas e 14 às 17 horas), além da abertura habitual ao fim-de-semana e feriados.

Cerâmica contemporânea de Elsa Figueiredo na Galeria dos Prazeres

Sobre a artista:

Elsa Figueiredo nasceu em Lisboa em 1966. Completou o Plano de Estudos Básicos em Cerâmica, no Ar.co (1989/1992) e começa a trabalhar em ateliê próprio. Continua a sua formação realizando o Curso de Iniciação ao Desenho na S.N.B.A., em Lisboa; aprende pintura em azulejo na E.S.B.A.L. e estagia em porcelana no estúdio de um artista.

Começa a sua pesquisa na área das queimas alternativas como as soengas, raku, fornos de papel e serradura, fornos a lenha e forno-escultura participando em numerosos workshops. Explora também a introdução de outros materiais como vidro, minerais ou paperclay, e ainda a arquitectura de terra como forma de desenvolver a sua conexão entre terra crua e cerâmica. Participa ainda em vários simpósios e congressos em universidades e museus.

Ao mesmo tempo conclui o Curso de Monitores de Expressão Plástica na Fundação Calouste Gulbenkian (2005) e mais tarde a licenciatura em Animação Sociocultural no ISCE (2013).

Participa regularmente em exposições e bienais e tem o seu trabalho representado nas seguintes colecções: Câmara Municipal de Oeiras, Câmara Municipal de Torres Vedras, Câmara Municipal de Loures, Colecção Edinfor-Grupo EDP, Coleção do Ar.co e várias colecções particulares.

Cria projetos na área da cerâmica e expressão plástica, que aplica em escolas, museus e outras instituições. É professora de técnicas de cerâmica aplicadas, processos de queima e azulejaria tradicional e contemporânea no Ar.co desde 2005; ensina iniciação à cerâmica e acompanhamento de projectos no seu ateliê.