Utilização do ‘roaming’ “disparou” no terceiro trimestre

27 Dez 2017 / 14:15 H.

A utilização do ‘roaming’ “disparou, tanto ao nível da voz como de Internet/dados” no terceiro trimestre deste ano, depois das alterações na União Europeia, divulgou hoje a Autoridade Nacional de Comunicações (Anacom).

“As chamadas e minutos de voz de clientes portugueses quando estão no estrangeiro (’roaming out’) aumentaram 36,9% e 50,8% em termos homólogos, respectivamente”, adiantou o regulador das telecomunicações, acrescentando que “a utilização de Internet registou um aumento de 60,7% no número de sessões de acesso e de 320,9% no volume de tráfego gerado”.

Já no caso dos estrangeiros que utilizaram a rede das operadoras portuguesas (’roaming in’), “o crescimento foi ainda maior nas chamadas, minutos de voz e sessões de acesso à Internet, que aumentaram 41,3%, 57,7% e 99%, respectivamente, em termos homólogos”.

No caso do tráfego de Internet, este subiu 299%.

“Esta evolução estará associada à nova regra de preços de ‘roaming’ resultante do enquadramento regulamentar europeu que determinou uma política de ‘Roam Like At Home’, ou seja, o preço das comunicações em ‘roaming’ entre países do Espaço Económico Europeu não pode exceder as tarifas pagas pelas comunicações nacionais”, recorda a Anacom.

No terceiro trimestre, a penetração do serviço móvel atingiu 170,5 por 100 habitantes, com a taxa de utilização efectiva a situar-se nos 127,4 por 100 habitantes.

“O número de estações móveis habilitadas a utilizar o serviço atingiu 17,6 milhões, das quais 13,1 milhões (74,7% do total), foram efectivamente utilizadas no último trimestre. Excluindo ‘tablet’/PC e as estações móveis associadas a comunicações ‘Machine-to-Machine’ (M2M), o número de estações móveis/equipamentos de utilizador activos e com utilização efectiva foi de 11,7 milhões, mais 3,3% do que no período homólogo”, acrescentou a Anacom.

Em setembro, 39,7% dos clientes residenciais do serviço telefónico móvel subscreveram este serviço no âmbito de uma oferta em pacote que integra serviços prestados em local fixo, segundo dados da Marktest.

“Os utilizadores efectivos de serviços típicos da banda larga móvel (videotelefonia, transmissão de dados em banda larga, mobile TV) aumentaram 12,6% em relação ao período homólogo, atingindo 7 milhões, o valor mais elevado de sempre. O crescimento da utilização destes serviços está associado ao aumento dos utilizadores de Internet no telemóvel, que aumentou 14,6%, e à crescente penetração dos ‘smartphones’”, referiu.

A Anacom adiantou que a Meo/PT Portugal (grupo Altice Portugal) “continua a ser o principal prestador, com 43,8% das estações móveis activas com utilização efectiva, seguida da Vodafone, com 30%, e da NOS, com 24,2%”.

Em termos de tráfego, o volume de minutos de conversação originados nas redes móveis aumentou 4,1% em comparação com o trimestre homólogo.

A utilização do serviço de mensagens escritas diminuiu 11% com novas formas de comunicação alternativas.

O volume de receitas acumuladas dos serviços a clientes finais no terceiro trimestre rondou 993 milhões de euros, menos 3,4% face ao período homólogo.