Síria Rússia, Turquia e Irão confirmam conversações de paz em Janeiro

22 Dez 2017 / 15:43 H.

A Rússia, que apoia militar e diplomaticamente o Governo sírio, a Turquia, apoiante dos rebeldes, e o Irão, outro aliado de Damasco, confirmaram hoje conversações de paz na Síria no final de Janeiro, na cidade russa de Sochi.

O anúncio do Congresso para o Diálogo Nacional, a realizar nos dias 29 e 30 de Janeiro, foi feito um dia depois de o enviado especial da ONU para a Síria, Staffan de Mistura, ter anunciado que as negociações entre o Governo sírio e a oposição seriam retomadas na segunda metade de Janeiro.

Citado por órgãos de comunicação social russos, a reunião em Sochi, junto ao mar Negro, foi anunciada pelo diplomata cazaque Aidarbek Tumanov, em Astana, no Cazaquistão, onde decorre hoje a reunião.

De Mistura, que afirmou a necessidade de avaliar-se a contribuição do Congresso para o Diálogo Nacional para o processo de paz determinado pelas Nações Unidas, em Genebra, disse, na quinta-feira, que ia apresentar novas ideias para impulsionar uma transição política na Síria e espera garantir avanços para a libertação de prisioneiros de guerra.

Tumanov disse também que a Rússia, a Turquia e o Irão decidiram a constituição de um grupo de trabalho que se debruçará especificamente sobre a troca de prisioneiros das duas partes beligerantes na Síria e da erradicação de minas no território daquele país, em conflito há sete anos, e que já provocou 400 mil mortos e causou a maior crise de refugiados desde a Segunda Guerra Mundial.

As tentativas anteriores de promover um congresso foram frustradas por desentendimentos sobre os possíveis participantes, principalmente o envolvimento dos curdos, contra os quais a Turquia se opôs.

O enviado russo Alexander Lavrentyev disse à agência de notícias da Rússia Interfax que as partes ainda não concordaram com a lista de participantes no Congresso para o Diálogo Nacional.

Desde o início do processo de Genebra em 2016, a delegação governamental síria recusou-se sempre a discutir directamente com representantes da oposição síria, aceitando apenas dialogar com o mediador.

A Rússia organizou diversas negociações paralelas com o Irão e a Turquia.

Outras Notícias