Príncipes, ministros e dezenas de ex-ministros sauditas detidos por corrupção

05 Nov 2017 / 00:30 H.

Pelo menos 11 príncipes, quatro ministros e “dezenas” de ex-ministros foram detidos hoje na Arábia Saudita por ordem de um comité anticorrupção criado horas antes pelo rei Salman bin Abdulaziz, noticiou a cadeia de televisão Al Arabiya.

O comité anticorrupção, dirigida pelo príncipe herdeiro, Mohamed bin Salman, tem como missão investigar casos de corrupção detetados no reino, informou ainda antes da notícia das detenções a agência oficial SPA.

O novo organismo tem o poder de emitir ordens de detenção e de proibição de viajar para o estrangeiro, além de poder congelar bens dos investigados e adotar outras medidas preventivas ainda antes de os casos chegarem a tribunal.

Fontes citadas pela Al Arabiya, baseada no Dubai, o comité reabriu a investigação de dois casos de corrupção relacionados com as inundações que ocorreram na cidade de Jeddah em 2009 e com o surto de coronavírus, também conhecido como síndroma respiratório do Médio Oriente, que matou cerca de 500 pessoas entre 2012 e 2015.

Ao mesmo tempo que criava o novo comité anticorrupção, o rei Salman anunciava alterações significativas nas autoridades do reino: destituiu o responsável da Guarda Nacional, o comandante da Armada e o ministro da Economia.

Nenhuma fonte oficial explicou por enquanto se as destituições estão relacionadas com as investigações de corrupção.

Até agora estava no comando da Guarda Nacional o príncipe Mobeib bin Abdulah, um dos elementos da família real de alto nível. Será substituído pelo príncipe Jaled bin Ayaf.

O ministro da Economia e do Planeamento, Adel al Faqieh, foi trocado por Mohamed al Tuwaiyri.

A Casa Real saudita não deu explicações sobre as substituições de ambos.

O comandante da Armada, o almirante Abdulah bin Sultan bin Mohamed al Sultan, que vai para a reforma, foi substituído pelo vice-almirante Fahd bin Abdulah al Gifaili.

Tópicos

Outras Notícias