Colômbia denuncia recrutamento de 24 menores pelo Exército de Libertação Nacional

12 Ago 2018 / 11:49 H.

O Provedor de Justiça da Colômbia, Carlos Negret, acusou este sábado os guerrilheiros do Exército de Libertação Nacional (ELN) de terem recrutado 24 crianças, nos últimos seis meses, no oeste do país.

Negret, que participava num evento promovido pelo novo Presidente, Iván Duque, descreveu a situação como “preocupante” e “lamentável”, já que as crianças colombianas “devem segurar lápis, nunca armas”.

O novo Presidente tem como um dos principais desafios deste mandato realizar um pacto com o ELN, guerrilha de inspiração marxista-leninista, que não chegou a acordo com Juan Manuel Santos para encerrar a sua atuação.

Na mesma ocasião, Duque ameaçou a última guerrilha ativa na Colômbia de receber “uma forte resposta das forças de segurança” se continuar “a recrutar crianças”, a “sequestrar” militares e civis e a perpetrar qualquer “ato de violência”.

No dia 03 de agosto, o ELN sequestrou um grupo de três polícias, um soldado e dois civis, quando passavam pelo Rio Arquia, no oeste da Colômbia.

Na última quinta-feira, a guerrilha também sequestrou três outros soldados no departamento de Arauca, perto da fronteira com a Venezuela.

Outras Notícias