Chuva intensa desde Outubro já matou 21 pessoas em Moçambique

22 Jan 2018 / 14:33 H.

O número de mortos provocados pela chuva intensa no norte e centro de Moçambique desde outubro subiu para 21, disse hoje à Lusa fonte oficial.

“A preocupação continua a ser a assistência às populações. Passámos para uma situação de 21 mortos”, declarou Paulo Tomás, porta-voz do Instituto Nacional de Gestão de Calamidades (INGC).

O número de óbitos cresceu devido à depressão tropical que atingiu, na última semana, em que morreram sete pessoas nas províncias de Niassa, Cabo Delgado, Nampula e Zambézia, acrescentou.

Imagens divulgadas pelos residentes na região mostraram construções típicas do interior rural (feitas com barro) destruídas, ruas alagadas, outras cobertas de lama e estruturas derrubadas por fortes correntes de água pluvial.

No total, de acordo com dados do INGC, mais de 15 mil famílias já foram afectadas nestas quatro províncias.

As autoridades prevêem que sejam necessários 300 milhões de meticais (mais de 4,1 milhões de euros) para reparar os danos causados pelas chuvas e ventos fortes nas províncias.

Da verba, 187 milhões de meticais (2,5 milhões de euros) serão destinados serão destinados à reabilitação de estradas e pontes, segundo dados do INGC.

Entre outubro e abril, Moçambique é ciclicamente atingido por cheias, fenómeno justificado pela sua localização geográfica, sujeita à passagem de tempestades e, ao mesmo tempo, a jusante da maioria das bacias hidrográficas da África Austral.

Outras Notícias