Cadeia norte-americana CBS afasta director Leslie Moonves após novas denúncias

10 Set 2018 / 10:29 H.

O director executivo da cadeia televisiva norte-americana CBS, Leslie Moonves, demitiu-se no domingo à noite, após uma segunda série de denúncias de agressões sexuais de outras seis mulheres.

Em comunicado, a cadeia anunciou a saída “com efeito imediato”, após 15 anos nos comandos, de Moonves, um antigo actor de 68 anos e uma das personalidades mais poderosas da televisão norte-americana.

A CBS anunciou ainda que Moonves e a empresa irão doar 20 milhões de dólares a uma ou várias associações de apoio ao movimento #MeToo [#EuTambém, na tradução em português, e usado como frase chave o movimento de denúncia e combate a assédio sexual de mulheres desencadeado pelas denúncias contra o produtor de cinema norte-americano Harvey Weinstein], e para a igualdade das mulheres no trabalho.

Moonves vai ser substituído na liderança da primeira cadeia de televisão norte-americana pelo adjunto, o diretor de operações Joseph Ianniello. A CBS, responsável por séries como “The Big Bang Theory” (A Teoria do Big Bang, em português), anunciou ainda a substituição de seis membros do conselho de administração.

No domingo à tarde, vários órgãos de comunicação norte-americanos tinham anunciado a saída iminente de Moonves, na sequência da publicação nessa manhã, pela revista New Yorker, de novas denúncias de seis outras mulheres contra o director.

Estas novas denúncias são mais graves do que as das seis primeiras mulheres, feitas em julho e também através da New Yorker, e incluem denúncias de violações e violência física contra o ex-diretor da CBS.

Em julho, o texto da New Yorker recordava que, em dezembro passado, Moonves ajudou a fundar a Comissão para Eliminar o Assédio Sexual e o Desenvolvimento da Igualdade no Trabalho, criada por instituições e personalidades do mundo do espetáculo depois de conhecidas as acusações contra Weinstein.

À revista norte-americana, Moonves garantiu que nos seus anos na CBS promoveu “a cultura do respeito e oportunidades para todos os empregados” e que “de forma consistente” tiveram “êxito com mulheres a ascender a altos cargos executivos”.

“Reconheço que houve ocasiões há décadas em que posso ter tido avanços incómodos para algumas mulheres. Foram erros e lamento-o profundamente”, disse Moonves, que acrescentou sempre ter entendido que “não é não” e nunca usou a sua posição para prejudicar ou bloquear qualquer carreira.

Antes de ser divulgado o artigo na revista, que foi antecipado por outros media locais, a administração da CBS anunciou que vai investigar as versões sobre a má conduta sexual do seu director executivo.

Outras Notícias