República continua a arranjar desculpas para a não consagração de verbas para o novo Hospital da Madeira, diz Sara Madruga

13 Nov 2017 / 15:01 H.

A deputada Sara Madruga da Costa iniciou em tom irónico a sua interpelação ao Ministro da Saúde, no âmbito da discussão na especialidade do Orçamento do Estado de 2018, referindo que “gostaria muito de poder falar hoje do lançamento do concurso de construção do Novo Hospital da Madeira, como já o fizeram outros senhores deputados e bem quanto a Lisboa Oriental, Seixal e Sintra o que significa que os senhores deputados não abdicam de defender os interesses das suas regiões, como acabou infelizmente de fazer o deputado do BE, Paulino Ascensão, em relação à Madeira”.

Mas a deputada prosseguiu ainda dizendo, “não o posso fazer porque este Orçamento não contém um único cêntimo para o Hospital da Madeira, mas contém cerca de 25 milhões de euros para outras unidades hospitalares no continente”.

“E isto, Sr. Ministro, depois do PS ter afixado cartazes na Madeira a garantir aos madeirenses e porto-santenses que o financiamento do Novo Hospital já estaria assegurado e da palavra dada pelo Primeiro Ministro em 2015”, acrescentou.

A deputada acusou o Ministro da Saúde de “arranjar desculpas ao longo destes dois anos, para a não consagração de qualquer verba para o Hospital da Madeira”. “Desde dizer que o Orçamento Regional não continha qualquer verba o que não corresponde à verdade, desde afirmar que o programa funcional não estaria concluído, o que também não verdade”, sustentou e acrescentou: “Tentaram ainda fazer depender o financiamento da criação de um grupo de trabalho, grupo este que por culpa do governo da república demorou 10 meses a ser criado e dizer que o governo da república não fez a sua parte, quando o Ministro da Saúde sabe que isso também não é verdade, porque já conhece e possui todos os elementos descritivos do projecto”.

Sara Madruga da Costa referiu ainda que “para o Hospital da Madeira exige-se tudo e mais alguma coisa, para os restantes hospitais no continente consagra-se verba, sem se exigir nada”. “Todos os anos o governo da república, cria novas exigências, impõe novos requisitos, para continuar a adiar o financiamento do novo Hospital da Madeira”, frisou e acrescentou: “Os madeirenses e porto-santenses já perceberam o vosso jogo do empurra e a falta de vontade deste governo em resolver um assunto prioritário para a Região”.

Por fim a deputada madeirense exigiu ao Ministro da Saúde que esclareça quando será marcada a primeira reunião do grupo de trabalho que o governo da república levou 10 meses a constituir e se a mesma ocorrerá a tempo de consagrar já neste orçamento verba para o Hospital da Madeira.

Na resposta o Ministro da Saúde, disse que “a Madeira precisa de ter um novo Hospital porque já tem um programa funcional e projectos”.

Adalberto Fernandes referiu que conta ter a primeira reunião de natureza técnica este mês e visitar a Região ainda antes de meados de Dezembro, para conhecer o local onde se pretende construir a nova unidade hospitalar.

Tópicos