“Desenvolvimento da Região resulta da Autonomia e da UE e não do Estado”

23 Mai 2018 / 17:33 H.

O presidente do Governo Regional, Miguel Albuquerque, destacou, esta tarde, a importância dos poderes da Autonomia e dos apoios da União Europeia para o desenvolvimento da Madeira nas últimas décadas e criticou quem “não tem nada na cabeça e ainda acha que devíamos sair da União Europeia (UE)”.

“O grande contributo para a coesão económica e social e para o desenvolvimento da Madeira não resulta dos apoios do Estado mas resulta fundamentalmente em primeiro lugar de termos uma Região Autónoma que toma decisões autonomamente relativamente ao seu presente e ao seu futuro colectivo e resulta necessariamente e imperativamente daquilo que tem decorrido da nossa integração europeia”, declarou o chefe do executivo madeirense na sessão de entrega de apoios do PRODERAM a 53 projectos agrícolas, no valor de 6,3 milhões de euros, financiados com fundos comunitários.

Na mesma sessão Albuquerque voltou a afirmar que a Madeira está a atravessar um ciclo de “crescimento económico em todas as valências”, incluindo na Agricultura, que em 2016 teve um rendimento líquido de 60,4 milhões. Por exemplo, o Vinho Madeira rendeu mais de 19 milhões de euros e a banana fechou o ano com a maior produção de sempre - 22 mil toneladas. “Em termos de rentabilidade a agricultura continua a ser rentável para a Região e fundamental para complementar o rendimento das famílias. Nesse sentido, é nossa obrigação aproveitarmos os fundos do PRODERAM, que são quase 179 milhões de euros, da melhor forma, que é aproveitar os melhores projectos que nos são apresentados”, adiantou o presidente do Governo.

Tópicos

Outras Notícias