Ronaldo à procura do inédito ‘hexa’ desta vez sem oposição de Messi

22 Set 2018 / 11:28 H.

O português Cristiano Ronaldo pode tornar-se na segunda-feira o primeiro futebolista a ser consagrado seis vezes com o prémio de melhor do mundo, numa eleição em que contará com a oposição de Luka Modric e Mohamed Salah.

O internacional luso, que venceu o galardão ‘The Best’ nos dois últimos anos, conta com cinco conquistas FIFA, tanto quanto o argentino Lionel Messi, do FC Barcelona, que, pela primeira vez desde 2007, não está entre os três finalistas.

Ronaldo, que se transferiu esta época para a Juventus, foi distinguido com o prémio de melhor futebolista do mundo em 2008, 2013, 2015, 2016 e 2016/2017, sendo que, na época passada, a nona e última ao serviço do Real Madrid, venceu Liga dos Campeões, Mundial de clubes, Supertaça europeia e Supertaça espanhola, anotando 44 golos em 44 partidas pelos ‘merengues’.

Contabilizando os registos ao serviço da seleção lusa, pela qual caiu nos oitavos de final do Mundial de 2018, perante o Uruguai (1-2), o ‘7’ da formação das ‘quinas’ totalizou 54 golos, quatro deles na Rússia, em 55 encontros.

Na luta pelo troféu que premeia o melhor futebolista em 2017/18, o ‘capitão’ da seleção portuguesa, de 33 anos, terá a oposição do médio croata Luka Modric, do Real Madrid, e do avançado egípcio Mohamed Salah, do Liverpool.

O ‘capitão’ da seleção croata foi este ano consagrado como melhor jogador do Campeonato do Mundo, no qual a Croácia chegou à final, e também melhor jogador do ano para a UEFA, enquanto o extremo norte-africano ajudou o Liverpool a alcançar a final da última Liga dos Campeões, além de ter sido o melhor marcador da Liga inglesa, com 32 golos.

Entre os candidatos a melhor treinador, o francês Zinedine Zidane, vencedor em 2017, procura o segundo prémio seguido, após ter conduzido o Real Madrid à terceira Liga dos Campeões consecutiva, tornando-se mesmo o primeiro técnico a conseguir tal feito por uma equipa.

‘Zizou’ terá a concorrência do compatriota e antigo colega de seleção Didier Deschamps, que levou a França à conquista do Mundial2018, e do croata Zlatko Dalic, líder da primeira seleção daquele país a atingir uma final de um Campeonato do Mundo.

Já o prémio de melhor futebolista feminina, que no ano passado foi entregue à holandesa Lieke Martens, será disputado entre a norueguesa Ada Hegerberg, a alemã Dzsenifer Marozsan, que ajudaram o Lyon a conquistar o título francês e a Liga dos Campeões feminina, e a brasileira Marta, que detém o recorde de troféus arrecadados (cinco).

Por outro lado, os nomeados para o prémio de melhor treinador de futebol feminino são o antigo internacional francês Reynald Pedros, que dirige o Lyon, a selecionadora do Japão, Asako Takakura, e a responsável pela seleção holandesa, Sarina Wiegman.

Na cerimónia ‘The Best’ serão também distinguidos o melhor guarda-redes de 2017/18 (Thibaut Courtois, Hugo Lloris ou Kasper Schmeichel) e o melhor golo, sendo que nesta categoria de 10 tiros certeiros estão nomeados a ‘bicicleta’ de Cristiano Ronaldo à Juventus, na Liga dos Campeões transata, e a ‘trivela’ de Ricardo Quaresma frente ao Irão, no Mundial2018.

Os prémios ‘fair play’, melhor adepto e melhor ‘onze’ masculino FIFPro fecham as oito categorias que compõem ‘The Best’, cuja cerimónia de entrega dos prémios está marcada para segunda-feira, em Londres.

Outras Notícias