PS, BE e Livre recusam solidarizar-se com futebolista Bernardo Silva condenado por acto racista

22 Nov 2019 / 16:08 H.

PS, BE e Livre votaram hoje contra a solidariedade do parlamento para com o futebolista internacional português Bernardo Silva, condenado recentemente por um ato racista por parte da Federação Inglesa de Futebol (FA).

Socialistas, bloquistas e a deputada única do partido da papoila, Joacine Moreira, chumbaram o ponto n.º 2 do voto de repúdio e condenação apresentado pelo CDS-PP “contra o racismo no desporto e de solidariedade para com o atleta da seleção nacional Bernardo Silva” (Manchester City), enquanto o PAN se absteve.

O ponto n.º 1 do documento, que repudiava qualquer prática de racismo, foi aprovado por unanimidade.

“Importa separar o que é racismo de uma mera brincadeira entre amigos que se estimam e respeitam. Algo que não aconteceu com o atleta Bernardo Silva, um dos melhores jogadores portugueses da atualidade, de ética desportiva irrepreensível, de `fair-play´ (desportivismo) reconhecido e elogiado por todos os treinadores e jogadores, que foi vítima destas confusões quando, por brincar com um grande amigo numa rede social, foi condenado pela federação inglesa a 1 jogo de suspensão, multa de 58 mil Euro e a frequentar um programa de educação presencial, por atos racistas”, lia-se no documento.