Passageiros da Transavia indignados com voos cancelados há dois dias

Alguns afectados porque a companhia alegou mau tempo e nevoeiro no Aeroporto da Madeira. Autoridades garantem embarque

Porto /
10 Ago 2019 / 18:33 H.

Alguns passageiros da companhia área de baixo custo Transavia estavam hoje de manhã indignados no Aeroporto Francisco Sá Carneiro, no Porto, devido a voos cancelados desde quinta-feira, mas as autoridades garantem que não houve desacatos, nem segurança reforçada.

“Isto é inadmissível. Nunca mais venho nesta companhia [Transavia]. Devia ter ido embora há dois dias. Estive na fila do ‘check in’ na quinta-feira [dia 08 de agosto] e só lá dentro é que me disseram que o voo tinha sido cancelado”, declarou à Lusa Val Maria, 73 anos, referindo que veio da Régua para apanhar o voo para Lyon (França) e ficou retida em Portugal dois dias por cancelamento do voo.

A companhia aérea reprogramou o voo da passageira Val Maria para hoje, sábado, dia 10 de agosto, para as 13:50.

Em declarações à Lusa Fernanda Dias, outra passageira que também não conseguiu viajar na quinta-feira passada para Lyon, contou à Lusa que a Transavia alegou o cancelamento do voo com o “mau tempo e nevoeiro” e que “o avião não conseguia levantar voo do Funchal [Madeira]” com aquelas condições atmosféricas.

Sem registo de problemas na Madeira

Na verdade, os únicos voos cancelados ontem - confirmou o DIÁRIO na página do Aeroporto da Madeira - foi um de Lisboa da TAP e o referido da Transavia desde Paris. Todos os outros voos chegaram sem problemas ao longo de todo o dia e noite de sexta-feira, com maiores ou menores atrasos.

“Nem me propuseram hotel, nem deram dinheiro para as refeições. Apenas pagaram o bilhete de hoje”, lamentou a utente, referindo que felizmente tem família no Porto que lhe deu alojamento para duas noites.

Uma altercação obrigou na sexta-feira transata ao reforço de segurança policial junto a um balcão de vendas de viagens aéreas no Aeroporto Francisco Sá Carneiro.

Fonte da PSP do Porto confirmou à agência Lusa, na altura, que a polícia foi chamada ao local da “altercação”, pelas 14:35 de sexta-feira, na sequência de um “pequeno conflito” entre passageiros junto à porta de embarque para os respetivos voos, quando terão constatado que “havia dois voos para o mesmo destino, de companhias diferentes, com embarque na mesma porta”.

Um funcionário da empresa Portway Handling Portugal, empresa que dá assistência à Transavia no Aeroporto de Sá Carneiro, explicou hoje à Lusa que dois dos voos da Transavia de sexta-feira foram reprogramados para hoje, às 07:05 e às 12:00, e que o ‘check-in’ foi realizado com normalidade.

O mesmo funcionário da Portway confirmou à Lusa que houve “desacatos” entre passageiros e “intervenção policial” durante a tarde de sexta-feira devido a um voo para Amesterdão com hora de saída às 14:55.

A Lusa constatou hoje junto à porta de embarque do Aeroporto do Porto que estiveram sempre seis elementos da segurança do aeroporto e outros dois seguranças junto aos quatro balcões abertos da Transavia.

Em declarações à Lusa fonte do gabinete de imprensa da ANA Aeroporto garantiu, todavia, que “não houve reforço de segurança”.

Da parte das forças da PSP do Comando do Porto também não houve “nenhuma medida extraordinária policial” ativada para hoje no Aeroporto do Porto, disse à Lusa fonte oficial.

Outras Notícias