Metro do Porto prorroga até 25 de Maio prazo para propostas de linha Rosa e Amarela

Porto /
09 Abr 2020 / 14:18 H.

A Metro do Porto prorrogou hoje até 25 de maio o prazo para apresentação de propostas de construção da linha Rosa, no Porto, e expansão da Amarela, em Vila Nova de Gaia, por 365 milhões de euros.

Em dois “avisos de prorrogação de prazo” publicados no Diário da República, a Metro do Porto prolonga em cerca de um mês a aceitação de propostas para as duas empreitadas, cujo concurso lançado a 27 de março estipulava a entrega de propostas até 28 de abril.

Fonte da empresa explicou à Lusa que a decisão de prorrogar o prazo se deveu à “necessidade de esclarecimento” das “várias questões” colocadas por novos interessados na obra, que teve um primeiro procedimento concursal com o valor base de 270 milhões de euros.

Como o primeiro concurso, concluído no início de março, terminou com a apresentação de “sete propostas” com valores “substancialmente acima do preço base” de 270 milhões, o governo autorizou a empresa a reforçar o valor base da empreitada em 95 milhões de euros.

Agora, o valor base global dos dois concursos é de 365 milhões de euros, dos quais 235 milhões dizem respeito à Linha Rosa, ou Circular, entre a Praça da Liberdade e a Casa da Música, no Porto.

O concurso para o prolongamento da linha Amarela desde Santo Ovídio até Vila d’ Este, em Vila Nova de Gaia, numa obra que inclui a edificação de um Parque de Material, tem o preço base de 130 milhões de euros.

De acordo com os anúncios publicados em DR, a linha Rosa tem um prazo de construção de 42 meses (três anos e meio).

No prolongamento da linha Amarela, o “prazo de execução do contrato” é de 34 meses (dois anos e 10 meses).

A 24 de março, o governo autorizou a Metro do Porto a gastar até 407,7 milhões de euros com esta expansão, num reforço total de 137 milhões de euros para as duas empreitadas.

Fonte da empresa esclareceu hoje à Lusa que a diferença entre o reforço de 95 milhões de euros para a empreitada e o reforço global de 137 milhões diz respeito a outros concursos complementares que terão de ser lançados.

Em causa estão, revelou, procedimentos para “sinalização, apoio à exploração, catenárias, máquinas de bilhética ou validadores”, para as quais está previsto um investimento de 42 milhões de euros.

A resolução do conselho de Ministros refere que a importância de a empresa lançar “de imediato” dois novos concursos públicos para “não comprometer o prazo final do ano de 2023 para a conclusão das empreitadas”, embora prolongue a autorização de despesa até 2024/2025.

As novas linhas do Metro do Porto vão acrescentar seis quilómetros e 10 milhões de novos clientes à rede.

No início de abril de 2020, quando foram lançados os concursos para as duas obras, o ministro do Ambiente apontou para três anos, em 2022, o prazo de conclusão das empreitadas.

O Metro do Porto opera atualmente em sete concelhos da Área Metropolitana do Porto através de uma rede de seis linhas, 67 quilómetros e 82 estações, tendo em 2019 ultrapassado os 71 milhões de clientes, de acordo com dados da empresa.