Justiça arrestou 2.200 obras de arte do madeirense Joe Berardo

14 Set 2019 / 21:24 H.

Cerca de 2.200 obras e quadros milionários do empresário e coleccionador madeirense Joe Berardo foram confiscadas pela Justiça até ao final de Agosto, na sequência de arresto no processo interposto pela CGD, BCP e Novo Banco, que pretendem recuperar uma dívida superior a 962 milhões de euros.

A notícia foi avançada pelo Jornal Económico, na sua versão impressa, dando conta que cerca de mil obras de arte, das quais 862 que integram o acordo do empresário com o Estado, foram arrestadas no Centro Cultural de Belém (CCB), tendo as restantes 1.200 sido encontradas do jardim ‘Bacalhôa Buddha Eden’, no Bombarral e na ‘Aliança Underground Museum’, museu nas caves ‘Aliança-Vinhos de Portugal’, em Aveiro.